Autocarro da equipa de Scolari atacado à pedrada pelos próprios adeptos

O incidente foi registado à chegada da equipa do Palmeiras ao seu estádio onde acabaria por vencer o Junior Barranquilla por 3-0, para a Taça Libertadores

Uma autêntica noite de terror viveram esta quarta-feira os jogadores do Palmeiras, treinado por Luiz Felipe Scolari, à chegada ao seu Estádio, o Allianz Parque, para defrontar os colombianos do Junior Barranquilla para a Taça Libertadores.

Um grupo de adeptos do clube arremessou várias pedras e garrafas de vidro contra o autocarro da equipa, que ficou bastante danificado, embora nenhuma das pessoas que seguia no interior tenha ficado ferida.

Os adeptos palmeirenses protestavam pela derrota com o rival São Paulo, três dias antes, nas meias-finais do Campeonato Paulista, no desempate por penáltis, após o empate 0-0. Além disso, na manhã deste quarta-feira, as paredes da sede do Palmeiras apareceram pintadas com insultos ao avançado Miguel Borja e à conselheira da direção Leila Pereira.

Logo após a partida com o São Paulo registaram-se os primeiros sinais de indignação dos adeptos do Palmeiras, que se reuniram em protesto à porta do estádio. Isto numa altura em que os atuais campeões do Brasil estão a apenas um ponto de garantir o apuramento para os oitavos-de-final da Taça Libertadores.

Scolari: "Não tenho medo de bandidos"

Após a vitória frente ao Junior Barranquilla, Luís Filipe Scolari foi duro com os adeptos que atacaram o autocarro. "Viram-me com cara de assustado? Não tenho medo de bandidos, ninguém aqui tem. Não vamos dar visibilidade a quem não merece", atirou o antigo selecionador de Portugal.

A saída da equipa do Allianz Parque após a partida com os colombianos registou-se sem incidentes, até porque a direção do Palmeiras reforçou a segurança, após ter sido informada pela Polícia Militar sobre a possibilidade de estar a ser preparada uma emboscada aos jogadores, segundo as mensagens encontradas nos telemóveis de alguns dos adeptos que foram detido.

O Palmeiras emitiu depois um comunicado onde repudiou aquilo que considerou ser um ato de vandalismo. "Condenamos a covarde agressão sofrida pela delegação da Sociedade Esportiva Palmeiras a caminho do Allianz Parque na noite desta quarta-feira. Esses vândalos não representam a torcida do Palmeiras. O lamentável ataque ao autocarro da delegação foi denunciado à Polícia Militar para que sejam tomadas as devidas providências com nossa total colaboração", pode ler-se na nota do clube paulista.

Este incidente gerou uma onda de indignação no Brasil, tendo o Corinthians já avisado que não irá entrar em campo se o seu autocarro for alvo de um ataque semelhante no domingo, quando irá visitar o São Paulo em jogo da primeira mão da final do Campeonato Paulista. Isto porque no ano passado, um dos vidros do seu autocarro ficou danificado por causa de uma pedra arremessada pelos adeptos do rival, uma situação que tem sido recorrente nos últimos anos.

Exclusivos