Arouca nega pedido de insolvência e despedimento coletivo

Num comunicado publicado no página de Facebook, os dirigentes arouquenses garantem que os jogadores encontraram as instalações fechadas porque não estava nenhum treino marcado.

A direção do Arouca desmentiu esta terça-feira as notícias sobre o seu alegado pedido de insolvência e o despedimento coletivo dos jogadores, que terão em dívida os salários de abril, bem como alguns prémios relativos a esta época.

"Tudo o que foi escrito até à presente data é absolutamente falso", pode ler-se num comunicado que o clube, que este domingo desceu da II Liga para o Campeonato de Portugal, publicou no Facebook, explicando ainda que os jogadores encontraram as instalações do clube fechadas na manhã desta terça-feira porque não havia qualquer treino marcado.

Na nota divulgada, os dirigentes arouquenses acusam Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores, de "montar o circo" sobre a situação do clube. "Não podemos deixar de lamentar e condenar veementemente a atitude e declarações do presidente do Sindicato dos Jogadores que, sem nunca ter contactado ninguém da estrutura do clube, preferiu 'montar o circo' - como é seu hábito, aliás - proferindo declarações que repudiamos absolutamente", acrescentam.

Ler mais

Exclusivos