Abel: "Contra os três grandes fomos manifestamente prejudicados"

O treinador bracarense considerou esta quinta-feira que o Sp. Braga foi "manifestamente prejudicado" pelas arbitragens frente aos grandes na I Liga, manifestando vontade de reforçar a equipa para "fazer o que ainda não foi feito".

O técnico dos minhotos, que falava na conferência de imprensa de antevisão da receção ao Portimonense, na sexta-feira, em jogo da 34.ª e última jornada da I Liga, fez um balanço do campeonato e, embora assumindo "erros próprios", apontou o dedo às arbitragens. "Andámos pelo primeiro lugar, pelo segundo e pelo terceiro, lutámos pelos primeiros lugares até sete jornadas do fim e depois ficámos em quarto. Todos queríamos mais e disse que, em maio, teríamos o que fizéssemos por merecer. Disse que não falaria mais em arbitragens, mas, infelizmente, contra os três grandes fomos manifestamente prejudicados, foram seis penáltis contra esses clubes", disse.

Abel Ferreira desvalorizou a crítica do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, em entrevista concedida ao jornal O Jogo, sobre uma reação (sorriso) do técnico arsenalista após derrota por 6-2 com o Benfica. "Respeito muito o presidente mais titulado do mundo do futebol, mas fico contente por [Pinto da Costa] reconhecer competência às minhas equipas e que não facilitaram em jogo nenhum para vencer Sporting, Benfica e FC Porto", observou.

O técnico frisou estar "de corpo e alma" no projeto bracarense, quando foi questionado sobre se coloca a hipótese de a sua continuidade estar dependente do jogo com o Portimonense, pois, em caso de desaire, o Braga terminará a época com quatro derrotas seguidas. "Acredito muito no que faço, nas pessoas que dirigem o clube e no projeto que temos. Tendo em conta as incidências deste campeonato, as vicissitudes que teve, era difícil fazer melhor, mas também acreditámos que todos podem melhorar, os intervenientes e nós também", disse.

Abel Ferreira assinalou que no jogo com os algarvios será "para vencer como sempre" e no qual "está em causa apenas o brio e o profissionalismo" dos jogadores, lembrando que, juntamente com a equipa B, é treinador do Sporting de Braga há quatro anos. "Eu sei que isso não é normal no futebol porque hoje vivemos no tempo da luz, as pessoas fartam-se depressa das coisas, mas eu não me farto de querer continuar a vencer. O segredo está em ser equilibrado quando as coisas correm bem e menos bem. Estou de corpo e alma neste projeto, acredito que é possível fazer o que ainda não foi feito e que, com astúcia, uma boa análise e prospeção, é possível reforçar esta equipa para nos tornarmos mais fortes e combater as desigualdades que existem neste campeonato", disse.

Sporting de Braga, quarto classificado da I Liga, com 64 pontos, e Portimonense, 11.º, com 39, defrontam-se na sexta-feira, às 20.30, no Estádio Municipal de Braga.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.