Fernando Santos: "O jogo pôs-se difícil... temos duas finais para ganhar"

Selecionador diz que a equipa usou e abusou do jogo interior. Diz que o primeiro objetivo foi falhado e já aponta às duas finais que se seguem, os jogos com a Lituânia e no Luxemburgo.

O selecionador Fernando Santos considerou no final da derrota com a Ucrânia, por 2-1, que os jogadores atuaram mais com o coração do que com a razão, destacando ainda a eficácia da seleção ucraniana. Aqui ficam as ideias chave do treinador.

"O jogo pôs-se complicado. Entrámos bem no jogo, com um livre do Ronaldo. A seguir, eles foram lá à frente e fizeram o golo. A partir daí, desequilibrámo-nos um pouco no jogo.

A equipa tentou dar a volta, foi para cima, conseguiu fazer algumas coisas positivas, outras menos positivas. Das poucas vezes em que a Ucrânia foi lá [à baliza de Portugal], tivemos dificuldade.

Acho que usámos e abusámos do jogo interior. Poderíamos ter libertado a bola mais para os corredores, como, aliás, tínhamos planeado. Ao intervalo, disse aos jogadores que era importante acreditar e jogar mais com a cabeça e menos com o coração. Quando fizemos o 2-1, voltámos a jogar mais com o coração, quando tínhamos condições para empurrar o adversário. Parabéns à Ucrânia.

A Servia está em jogo [depois de ganhar 2-1 na Lituânia]. Sempre disse isso. Perdemos o primeiro objetivo, mas agora temos duas finais para ganhar, em casa com a Lituânia e no Luxemburgo."

Danilo: "Há dias em que a bola não entra"

"O que se tira de bom é a entrega que tivemos depois dos dois golos sofridos. Tentámos com tudo fazer dois golos, criámos situações claras para fazer golos, mas não conseguimos sair daqui com uma vitória. Mas há dias assim em que a bola não entra. Temos de ganhar os jogos que faltam para estarmos no Europeu.

Acho que quando sofremos o primeiro golo fomos mais com o coração do que com a cabeça e sofremos o segundo golo. O segundo tempo foi mais equilibrado, conseguimos equilibrar mais o jogo, criámos situações, mas não conseguimos concretizar.

O nosso objetivo era sempre chegar ao primeiro lugar, mas ainda temos hipóteses de passar e é nisso que nos vamos focar.

[sobre o remate à barra nos minutos finais] São coisas do jogo, arrisquei, às vezes entra e outras vezes não. Pode ser que na próxima entre."

Nélson Semedo (jogador de Portugal): "Queremos sempre ganhar, hoje não foi possível, mas temos de sair de cabeça levantada, porque fizemos um grande jogo.

Reagimos bem e criámos inúmeras oportunidades na segunda parte.

Eu acho que há que dar mérito a eles [ucranianos]. Têm uma grande equipa e acho que fizeram um bom jogo, mas merecíamos um resultado muito mais positivo.

Creio que se jogarmos os dois jogos que faltam como nesta segunda parte conseguimos alcançar o Europeu na mesma."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG