FC Porto tira tapete ao Famalicão e assume liderança da I Liga com o Benfica

Dragões bateram o Famalicão por 3-0 e saltaram para o primeiro lugar, que partilham em igualdade pontual com o Benfica, que sofreu muito para vencer pela margem mínima em Tondela. Sporting bateu o V. Guimarães e subiu ao quarto lugar.

A I Liga voltou à normalidade. Depois de 57 dias de uma liderança surpreendente do Famalicão (estava no primeiro lugar desde a quarta jornada), o FC Porto bateu no Dragão a equipa-sensação do campeonato por 3-0 e saltou para a liderança, que partilha em igualdade pontual (tem vantagem nos golos marcados) com o Benfica, que também neste domingo ganhou com muitas dificuldades ao Tondela. Já o Sporting recebeu e venceu o V. Guimarães, por 3-1, e subiu ao quarto lugar.

Veja aqui a classificação da I Liga.

No Dragão, o FC Porto limpou a má imagem deixada na quinta-feira na Liga Europa, quando empatou com o Rangers num jogo onde realizou uma exibição fraquinha. Conceição revolucionou no onze, deixando de fora Marega, Alex Telles e Zé Luís, apostando em Mbemba, Manafá e Soares. E o FC Porto assinou provavelmente a melhor exibição desta época no Dragão, vencendo com golos de Luis Díaz (o melhor em campo), Soares e Fábio Silva (o miúdo de 17 anos tornou-se o jogador mais novo de sempre do clube a marcar no campeonato). Foi o sétimo triunfo consecutivo dos dragões no campeonato, num dia em que o treinador Sérgio Conceição completou o jogo 300 no banco da equipa portista.

"O nosso processo defensivo, mudando um pormenor aqui ou acolá, foi fundamental para ganharmos. Foi esse trabalho coletivo que veio ao de cima e está, obviamente, associado ao nosso bom jogo com bola. Eu aceito e percebo que a pressão exista num grande clube, mas, por vezes, tudo o que existe à volta do futebol, o ambiente que se cria, não é bom para ninguém. Não estou a falar das pessoas que vêm ao estádio, essas são fantásticas, mas devemos perceber que ao 12.º jogo só perdemos um. É óbvio que queremos ganhar 12 em 12, mas o adversário às vezes também tem mérito", analisou Sérgio Conceição.

Benfica vence em Tondela

O Benfica, órfão de Rafa, que vai ficar no estaleiro pelo menos quatro meses, venceu em Tondela, mas continua sem convencer. Esta equipa está a anos-luz da que no ano passado esmagava os adversários e entrava em campo cheia de confiança. Bruno Lage continua sem encontrar o antídoto e valeu ao Benfica um golo do central Ferro, ainda na primeira parte, de cabeça, na sequência de um pontapé de canto. Isto num jogo onde Vlachodimos ainda se aplicou algumas vezes e impediu que o Tondela (que atuou com um esquema de cinco defesas) causasse uma surpresa.

"Foi um jogo muito difícil. Entrámos bem na partida, controlámos o jogo, controlámos a largura. A determinada altura, o Tondela prendeu-nos mais perto das laterais para não sairmos na pressão e tentaram controlar o jogo fazendo-nos correr à largura. Aí, tivemos algumas dificuldades em perceber essa dinâmica. Corrigimos essa situação, defendemos os laterais com os alas de maneira diferente, controlámos o jogo em termos defensivos e, ofensivamente, abusámos um pouco dos passes verticais para os homens da frente. Com uma linha de cinco, com espaço curto para jogar, éramos amassados e perdíamos a bola. A equipa esteve coletivamente bem, foi entendendo o jogo", justificou Bruno Lage no final.

Sporting ganha ao V. Guimarães

O Sporting fechou a noite com um triunfo (3-1) na receção ao V. Guimarães. Num jogo que à partida parecia de grau elevado, os leões conseguiram cedo dois golos de vantagem, com Jesé Rodriguez (estreia a marcar com a camisola dos leões) e Acuña a faturarem antes ainda da meia hora, e no espaço de três minutos. Na segunda parte, os vitorianos reduziram, mas logo a seguir Coates fez o terceiro. O triunfo permitiu aos leões subir ao quarto lugar, ultrapassando precisamente os vitorianos (somam agora 14 pontos, estão a sete dos líderes FC Porto e Benfica e a cinco do terceiro classificado, o Famalicão). Tudo isto num jogo marcado pela ausência das habituais tarjas no meio das claques no topo sul de Alvalade, na sequência da guerra aberta pelo presidente Frederico Varandas. Foi a quarta vitória de Jorge Silas no comando técnico do Sporting - mas a única derrota ditou o afastamento da Taça de Portugal, com o Alverca.

"Foi uma vitória com processos simples, porque ainda não tivemos muito tempo para trabalhar. Mas ainda temos muita pressa e acabamos por nos desgastar. Sofremos a nível defensivo, porque jogámos contra uma equipa muito boa. Ainda temos de melhorar bastante, temos muito trabalho pela frente. Há pequenas coisas para afinar, mas os dois primeiros golos nascem de duas grandes jogadas. Mas 3-1 a este Vitória, e vocês viram como o Arsenal sofreu no jogo da Liga Europa para os vencer, é bastante bom. Era imperial ganhar e subir ao quarto lugar e agora temos de pensar em subir mais na classificação. Acho que vamos jogar ainda muito melhor. Estes jogadores têm qualidade para jogar muito melhor. Wendel de fora? Não foi uma questão tática nem física, é algo que o Wendel vai ter de pensar", referiu Jorge Silas no final do jogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG