Redenção de Nakajima em noite de recorde para Fábio Silva

FC Porto bateu esta quarta-feira o Santa Clara por 1-0, com golo de Diogo Leite, em jogo a contar para 1.ª jornada da fase de grupos da Taça da Liga. Fábio Silva tornou-se o mais jovem de sempre a ser titular pelos dragões

Treinadores a aproveitar para dar minutos a segundas linhas, falta de entrosamento entre os jogadores, estádio com muitos lugares por preencher e ritmo de jogo e espetacularidade uns furos abaixo do que é habitual no campeonato. A primeira jornada da Taça da Liga é muitas vezes isto. Não que não haja vontade de chegar longe na competição, mas no meio de um calendário apertado e com tempo para depois recuperar um eventual atraso pontual, há que definir prioridades. Apesar desse contexto, o FC Porto conseguiu arrancar a prova com a conquista dos três pontos, algo que já não acontecia desde 2014-15.

Na noite desta quarta-feira, foi um pouco isso que se passou no Estádio do Dragão. Sérgio Conceição aproveitou o arranque portista na prova para estrear oficialmente Diogo Costa na equipa principal, dar os primeiros minutos a Diogo Leite, conceder oportunidades a jogadores pouco utilizados como Mbemba e Bruno Costa e promover um recorde na história do clube: tornar Fábio Silva o mais jovem titular de sempre do FC Porto, aos 17 anos, dois meses e seis dias, destronando a marca de Serafim que resistia há quase 59 anos (17 anos, quatro meses e 16 dias). No total, foram nove mexidas em relação ao onze que tinha vencido precisamente o Santa Clara no domingo - ou dez, se considerarmos que Manafá jogou desta vez à direita e não à esquerda.

Do lado açoriano, João Henriques também só manteve duas peças, os centrais Fábio Cardoso e César, mas desta feita apresentou uma linha defensiva composta por quatro unidades - um 4x3x3 desdobrável em 4x4x2 no processo defensivo - e uma estratégia mais desinibida. Essa desinibição quase valeu o golo inaugural a Pineda logo aos 11 minutos, mas o extremo internacional por El Salvador não conseguiu aproveitar o facto de estar isolado perante Diogo Costa e atirou ao lado.

No outro meio-campo, era Shoya Nakajima quem se mostrava mais capaz de assumir protagonismo, ainda que a espaços. O extremo japonês, à procura da redenção depois do valente raspanete que Sérgio Conceição lhe deu em Portimão dez dias antes, começou o jogo com fogo nas botas, ao rematar duas vezes com perigo nos primeiros minutos: primeiro para defesa de André Ferreira (3'), depois ao lado (7').

Seguiu-se um período mais apagado do nipónico, que coincidiu com uma fase mais negativa do encontro, com os jogadores azuis e brancos a fazerem notar faltas de rotinas coletivas, entre muitas faltas e paragens. Só no final da primeira parte, quando fez um magnífico trabalho individual e o cruzamento para o golo de Diogo Leite, é que o selo de qualidade de Nakajima reapareceu (45+2').

Após o intervalo, assistiu-se a um segundo tempo com menos qualidade do que o primeiro, com mais paragens e menos ocasiões de golo. O FC Porto esteve mais perto de dilatar a vantagem do que o Santa Clara de chegar ao empate, mas nem a incerteza do resultado trouxe alguma espetacularidade. Pior mesmo foi a saída em lágrimas e de maca do lesionado Romário Baró, uma jovem promessa do futebol português que vinha a ganhar o seu espaço na equipa de Sérgio Conceição.

Veja o vídeo do golo

1-0: Diogo Leite (45+2 minutos)

Ficha de jogo

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.

Assistência: 25.004 espetadores

Árbitro: António Nobre (AF Leiria)

FC Porto - Diogo Costa; Manafá, Pepe, Diogo Leite e Alex Telles; Romário Baró (Luis Díaz, 90), Mbemba, Bruno Costa e Nakajima; Soares (Zé Luís, 84) e Fábio Silva (Otávio, 75).

Treinador: Sérgio Conceição

Santa Clara - André Ferreira; Rafael Ramos, César, Fábio Cardoso e Mamadu Candé; Nené, Lucas Marques (Evouna, 78) e Lincoln (Bruno Lamas, 68); Stephens (Ukra, 60), Pineda e Guilherme Schettine.

Treinador: João Henriques

Marcador: 1-0, Diogo Leite, 45+2 minutos.

Disciplina: Cartão amarelo a Guilherme Schettine (27 minutos), Romário Baró (44), Rafael Ramos (48), Nené (52), Lucas Marques (76), César (83), Fábio Cardoso (88) e Evouna (90+2)

Exclusivos