Dois recordes do mundo de pista caem em Valência

Etíope Letensebet Gidey completou os 5000 metros em 14.06,62 minutos. Joshua Cheptegei fez 26.11,00 minutos nos 10 mil metros

Dois novos recordes mundiais de pista caíram esta quarta-feira em Valência. 14.06,62 minutos é o novo tempo a bater nos 5000 metros e 26.11,00 minutos é a melhor marca mundial nos 10 000 metros.

A etíope Letensebet Gidey bateu o recorde do mundo dos 5000 metros, completando a légua em pista em 14.06,62 minutos, quase cinco segundos abaixo do anterior máximo, que durou 12 anos.

O anterior recorde pertencia a outra etíope, Tirunesh Dibaba, e era de 14.11,55 minutos.

No estádio Túria, de Valência, tudo estava preparado para um ataque consistente ao recorde do mundo, nomeadamente a presença de lebres de excelente qualidade, como a espanhola Esther Guerrero, responsável pelo ritmo aos 1500 metros, e a queniana Beatrice Chepkoech, a recordista mundial dos 3000 metros obstáculos.

Desde cedo se percebeu que a corrida poderia ir mesmo para recorde do mundo, já que a passagem aos 3.000 metros foi feita sete segundos abaixo da referência.

Gidey, de apenas 22 anos, é a atual vice-campeã mundial de 10.000 metros e foi bronze no Mundial de corta-mato. É ainda a titular do recorde do mundo de 15 km em estrada.

Das outras atletas em pista, apenas a ugandesa Winnie Nanyondo concluiu a prova, quase a duas voltas da nova recordista.

Mais tarde,​​​​​​ o ugandês Joshua Cheptegei bateu o recorde do mundo dos 10 000 metros, com a marca de 26.11,00 minutos, retirando assim da lista de máximos o etíope Kenenisa Bekele.

O atual campeão do mundo, de 24 anos, esteve sempre em ritmo para recorde, superando em seis segundos e meio o tempo de Bekele (26.17,53), feito em agosto de 2005 em Bruxelas.

Cheptegei já tinha conseguido o recorde dos 5000 metros e também à custa de Bekele - foi a 14 de agosto, no Mónaco, com o crono de 12.35,36 minutos.

Cheptegei, que até esta quarta-feira era apenas o 18.º mais rápido em 10 000 metros, teve agora as condições ideais para uma corrida muitíssimo rápida.

A agência holandesa Global Sports Communication, que gere a carreira do ugandês, organizou esta sessão de Valência e recorreu a três lebres de grande qualidade, montando um sistema eletrónico que informava o tempo ao longo da pista.

Por outro lado, os recordes desta quarta-feira relançam a discussão sobre as novas sapatilhas mágicas, sobretudo as da Nike. Os novos modelos da empresa, que foram autorizados pela World Athletics, têm sido apontados como tendo forte influência na qualidade das marcas de alto nível obtidas esta época no meio-fundo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG