Conceição: "Com o clube sob alçada do fair-play financeiro não foi tudo fantástico"

O treinador do FC Porto lamenta as dificuldades que tem tido nos últimos anos em construir os plantéis devido às dificuldades financeiras do clube.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, lamentou esta quinta-feira as limitações que tem sentido em construir os plantéis ao longo dos anos em que está à frente da equipa, numa alusão clara às limitações financeiras do clube, que está sob alçada do fair-play financeiro da UEFA e ainda esta quarta-feira apresentou um prejuízo de 116 milhões de euros.

"Veja a equipa que tivemos desde o meu primeiro ano. Houve jogadores de grandíssima qualidade que saíram como o Militão, o Felipe, etc. Foram mais-valias para o clube em termos de encaixe financeiro, mas estou aqui para potenciar jogadores, ganhar campeonatos e entrar na Liga dos Campeões. Tendo em conta que o clube está sob alçada do fair-play financeiro não foi tudo fantástico e uma maravilha. Fizemos os possíveis para dar o máximo equilíbrio à equipa perante as mexidas que têm de haver no mercado", frisou o treinador, na véspera da visita a Paços de Ferreira, em jogo a contar para a 6.ª jornada da I Liga, marcado para as 20.30 horas.

E no meio dessas limitações, o empréstimo de Marko Grujic, garantido junto do Liverpool, surge como uma opção "interessante" para o meio-campo portista, depois de ter feito a estreia de dragão ao peito no jogo com o Olympiacos para a Liga dos Campeões. "É um médio que tem um impacto físico no jogo muito interessante. Apesar da sua altura, tecnicamente é muito capaz, pois joga curto e longo com facilidade. Há alguns aspetos que tem de melhorar e já falei com ele. Com o entrosamento também tem de melhorar. Há todo um trabalho de preparação que precisa de algum tempo para ele perceber a dinâmica da equipa", explicou, revelando que já conhecia o médio sérvio e achou que "encaixava no FC Porto".

Outra das novidades nos dois últimos jogos dos dragões foi o regresso de Nakajima, que Sérgio Conceição diz estar a ser trabalhado no "lado emocional". "A melhor vitamina para um jogador é jogar e sentirem parte do grupo", admitiu.

Quanto ao Paços de Ferreira, o treinador portista admitiu tratar-se de "uma equipa traiçoeira". "Nos últimos dois ou três jogos, os guarda-redes têm sido os jogadores mais determinantes no adversário. Em termos teóricos e práticos é um dos jogos mais difíceis que vamos ter", afirmou, elogiando depois o técnico pacense, Pepa, que diz estar a fazer "um excelente trabalho".

Sérgio Conceição admite que a sua equipa teve "pouco tempo de preparação entre os jogos", que diz justifificar o facto de o FC Porto "ter este atraso" de cinco pontos para o líder Benfica.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG