Bruno Lage: " Sim, os últimos três pontos têm que ser nossos"

Benfica empatou com o Leipzig e disse adeus à Liga dos Campeões. Encarnados precisam pontuar na última jornada para seguir para a Liga Europa.

Para Bruno Lage, o Benfica devia ter saído do jogo com o RB Leipzig, "com os três pontos". "A partir do 2-0 devíamos ter tido a capacidade para levar o jogo para o meio-campo adversário. Sabíamos que com 1-0 e a forma como marcámos o segundo golo iam ao encontro disso. O adversário ia procurar mais espaço interior, procurar ter sempre homens abertos e eventualmente podiam deixar o nosso ponta-de-lança numa situação de um para um. O nosso momento de transição tinha de ser este, procurar o avançado, segurar a bola, para depois vir gente de trás para segurar, jogar e levar o jogo para o meio-campo adversário. Na minha opinião foi isso que faltou. A forma como chegámos ao primeiro golo ilustra muito bem aquilo que foi a nossa preparação. Quando chegámos aos 90 minutos sabíamos que íamos ter um longo tempo extra por causa das paragens dos guarda-redes, mas sabíamos que devíamos ter saído com os três pontos", afirmou o técnico encarnado na flash interview da TVI.

Sente que os resultados fora de portas acabaram por ditar o afastamento? "Os três pontos que nos faltam são em casa. Com equipas tão competitivas, os pontos que não conquistámos em casa hoje [terça-feira] tínhamos de conquistar. Sabíamos disso, que as equipas que ganhassem os jogos em casa estavam em melhor posição para passar. Mas agora não interessa, temos de dividir as coisas. Este é o Benfica que nós queremos, é a forma pela qual trabalho com os jogadores diariamente", justificou o técnico encarnado.

O Benfica precisa agora de vencer o Zenit na última jornada para se manter nas competições europeias. "Sim, os últimos três pontos têm que ser nossos", atirou Lage, que não acredita em milagres, mas sim em trabalho: "Não acredito em milagres, acredito em trabalho. Foi o que fizemos. Chegámos ao 2-0 com trabalho, não com milagres. A justiça do resultado vale o que vale, poderíamos ter feito outro golo, mas eles também tiveram oportunidades. Não olho para a justiça, nem para milagres. Olho para a forma como trabalhámos."

Pizzi:"Tínhamos quase tudo na mão..."

"Tínhamos quase tudo na mão e deixámos fugir, mas o nosso estado anímico tem de voltar ao que era, pois temos um jogo para dar resposta no sábado", desabafou Pizzi, em declarações à TVI, no final do jogo com o Leipzig.

Já André Almeida lamentou o adeus da equipa portuguesa à Liga dos Campeões: "Foram 90 minutos bem conseguidos, em que a nossa estratégia resultou na perfeição. Nos instantes finais foi difícil segurar o ímpeto de uma excelente equipa. Podíamos ter guardado mais a bola, não entregar tão rapidamente, mas fica o que fizemos de bom também. Fica um sabor amargo, mas fizemos muita coisa bem feita."

Agora há que vencer o Zenit para poder sonhar com um lugar na Liga Europa. "A exigência do Benfica é olhar já para o próximo jogo e conquistar os três pontos, e depois lutar pela vitória frente ao Zenit", atirou o lateral benfiquista.

Carlos Vinícius jogou e marcou um golo, mas isso não chegou para a equipa vencer. "Estamos tristes pelo resultado, não era este o resultado que queríamos. Estávamos bem no jogo, conseguimos executar o plano de jogo, mas há coisas que no futebol que não se conseguem explicar. O balneário está triste. Estivemos bem, mas no tempo extra as coisas complicaram-se", disse o avançado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG