Bruno Lage, o "amasso" em Tondela e os "três preciosos" pontos para o título

Treinador do Benfica admitiu dificuldades em vencer a equipa beirã (1-0, com golo de Ferro) este domingo, em jogo da oitava jornada da I Liga.

"Foi um jogo difícil, com um adversário que atravessa um bom momento e que mudou o seu sistema. Penso que tivemos uma entrada boa no jogo, a jogar contra uma linha de cinco, mais uma linha de quatro. A equipa soube circular e, defensivamente, soube sempre pressionar. Entre os 30 e os 45 minutos da primeira parte, também fruto daquilo que foi o nosso jogo na quarta-feira [diante do Lyon, para a Liga dos Campeões], o Tondela obrigou-nos a correr mais e a jogar doutra maneira", admitiu o treinador do Benfica, no final do jogo com o Tondela, que o Benfica venceu por 1-0.

A "intenção" era que os laterais pressionassem os laterais contrários: "Mas, a determinada altura, os alas contrários bloquearam os nossos laterais, tiveram um pouco mais de bola e criaram-nos algumas dificuldades. Corrigimos isso ao intervalo, mas aquilo que senti que nos faltou foi ter a mesma paciência na circulação de bola."

A vencer por 1-0, o objetivo ao intervalo "foi corrigir defensivamente". "Depois com o Chiquinho, começámos a lançar a bola verticalmente contra a linha de cinco e éramos amassados. Mas o mais importante foi após este jogo termos tido esta mentalidade e vencer", lembrou o técnico.

Lage admitiu ainda que pediu "à equipa para ter mentalidade vencedora e entrar em campo e vencer o jogo". Por isso ficou "satisfeito com o que foi o resultado" : "Coletivamente estivemos bem e entendemos o jogo que era necessário fazer. Era preciso ter esta mentalidade competitiva e ganhadora depois da Liga dos Campeões. São três pontos preciosos na corrida pelo título."

Natxo González: "O Benfica não criou grandes oportunidades"

O Tondela continua sem vencer em casa na presente temporada, mas o técnico Natxo González ficou satisfeito com a exibição frente ao Benfica: "Fizemos aquilo que pretendíamos. Estivemos fortes defensivamente. O Benfica não criou grandes oportunidades em situações de jogo posicional. Acabou por marcar de bola parada, que é sempre difícil parar uma equipa como esta. Na primeira parte tivemos quatro ou cinco claras situações de golo", afirmou o técnico espanhol na flash interview.

No segundo tempo faltou "frescura física". "A equipa estava desgastada com o que tinha feito na primeira e quando queríamos ter um mais bola para tentar desajustá-los, o sangue não chegava à cabeça. Assim é difícil para tomar decisões. Mas estivemos à altura e eu estou muito contente. (...) Jogamos frente ao campeão e contra uma equipa que está na Liga dos Campeões", disse treinador do Tondela, após a derrota, por 1-0.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG