Bruno Lage: "No Benfica, vencer apenas uma Taça de Portugal não salva a época"

Treinador do Benfica queixou-se ainda da paragem para as seleções que interrompeu um bom ciclo dos encarnados e devolveu jogadores lesionados. Jogo com o Feirense é amanhã às 17.15 (Sport TV1).

Bruno Lage quer ser campeão e não o esconde. Este sábado, o treinador do Benfica não deixou dúvidas sobre o objetivo da época. Mas para festejar o título, os encarnados têm de estar no seu "melhor, com uma boa dinâmica, jogar bem bonito e marcar golos". Quanto a ele, está "determinado" a vencer cada uma das sete finais que faltam na I Liga: "É o nosso foco. Queríamos vencer o último e não conseguimos, queremos vencer o próximo." E o próximo é domingo (17.30, Sport TV1), com o Feirense.

Dias depois de ser eliminado pelo Sporting na Taça de Portugal, Lage foi questionado sobre o que será uma boa ou má época: "No Benfica, com a sua dimensão, vencer apenas a Taça de Portugal nunca salva a época."

Para o jogo com o Feirense, Lage não pode contar com Rafa (castigo) e Gabriel (lesão), mas na opinião do técnico, "não vão mudar nada". "O meu receio é sempre o mesmo, que a nossa equipa não jogue bem, o resto passa-me ao lado, queremos servir e dar uma alegria aos nossos adeptos", afirmou , lembrando o sue papel na preparação da equipa: "Entrar com a melhor equipa, perceber bem o momento de cada jogador para o colocar no onze na altura certa, perceber a dinâmica do adversário."

"A minha experiência como treinador principal ainda não é muita, mas das melhores recordações que vou levar deste inicio de carreira será o apoio dos nossos adeptos. Ainda no último jogo as coisas não correram bem e tentaram puxar o ânimo da equipa para cima. Vou sentindo, especialmente na rua, que as pessoas e os nosso adeptos já perderam o campeonato, mas com a recuperação da nossa equipa voltaram a acreditar. Por tudo aquilo que se vai vivendo, estão com receio de perder o campeonato outra vez e perder duas vezes no mesmo ano é algo que os pode marcar", afirmou.

O técnico é conhecido por viver intensamente os jogos e absorver o ambiente que o rodeia, em especial o da Luz: "As nossas chegadas ao estádio são das coisas mais indescritíveis. Sentimos uma energia, vou ali e quase começo a ter inveja dos jogadores. É de ficar com a garganta seca, arrepiadíssimo e uma vontade enorme de os representar dentro de campo. Que os adeptos continuem a acreditar em nós. Foram os adeptos que criaram a dinâmica da equipa. Tudo faremos para que não percam o campeonato no mesmo ano."

Nos momentos decisivos a equipa falhou. Qual a razão? E será que Lage receia que volte a acontecer na reta final do campeonato? "Não e não. O meu receio é sempre o mesmo. É que a minha equipa não jogue bem, o resto passa-me ao lado. Juntamente com os jogadores, entrar em campo, jogar bem, proporcionar um bom jogo aos nossos adeptos, juntamente com a vitória. É o servir e dar alegria aos nossos adeptos", garantiu o treinador do Benfica antes de elogiar Chiquinho, que pode voltar à Luz.

A seleção e a história contada por Mourinho...

Bruno Lage não escondeu o descontentamento e a frustração com a última paragem para as seleções. " Não tem a ver com a pausa. A forma de uma equipa e a dinâmica de uma equipa não se perde em uma semana, isso é um facto. São situações que acontecem. Já explicámos aquilo que aconteceu com o Tondela. Aquilo que é importante é o ter noção do que temos de fazer em cada momento. Outros treinadores lamentam-se da mesma situação. Quando há Seleção há sempre um desligar, mas que é natural", afirmou o técnico encarnado.

E recorreu mesmo a uma história de Mourinho para explicar a sua ideia: "Vou contar uma história que foi uma troca de partilhas entre o José Mourinho e o Carlos Carvalhal e connosco na equipa técnica. Em Inglaterra não têm por hábito fazer estágios nos jogos em casa, mas ele [José Mourinho] após cada paragem para seleções, no primeiro jogo, faz estágio. Porque perde-se alguma dinâmica da equipa. São questões transversais."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG