Bruno Lage não pensa no FC Porto e revela tentativa para contratar Fabianski

Treinador do Benfica abordou duelo com o Famalicão para a Taça de Portugal, na terça-feira (19.15).

Bruno Lage não quer ninguém a pensar no jogo com o FC Porto (sábado, às 20.30). "Quando chegamos a uma meia-final é concentração máxima no jogo, porque nos pode levar a uma final. Fizemos a análise do nosso último jogo e analisámos o jogo com o Famalicão. Andamos neste registo e não sinto ninguém a falar do jogo seguinte", afirmou o treinador do Benfica, na antevisão das meias finais da Taça de Portugal, com o Famalicão.

E garantiu que o facto de se jogar a duas mãos não altera em nada a forma de encarar a partida: "Não alterámos nada. Vamos jogar contra uma equipa muito competente, quer pelo que tem sido o seu percurso no campeonato e na Taça. Foi uma equipa que há pouco mais de um mês fez um grande jogo connosco. O nosso grande objetivo é jogar bem e vencer o jogo, ir à procura do melhor resultado."

O jogo antecede o clássico da 20.ª jornada da I Liga e a estreia na Liga Europa, mas nada que os jogadores não estejam habituados: "Todos os jogos são importantes à medida que se vai avançando nas competições. Na Taça é importante porque é a eliminar. Na UEFA o jogo é importante porque é a eliminar. Os jogos de campeonato são sempre importantes porque é para conquistar pontos. A importância não é apenas no mês de fevereiro, mas também de dezembro e janeiro. O importante é estarmos focados para dar uma boa resposta a cada momento. Pelo que a equipa tem vindo a fazer estamos confiantes."

Bruno Lage abordou ainda o mercado como prometido. Negou Bruno Guimarães e revelou que o reforço mistério de quem tinha falado na última conferência era um guarda-redes... o Fabianski (West Ham). "Nunca foi posta em causa a competência do Odysseas. Olhar para ele, neste momento, na construção... é olhar para um jogador completamente diferente. Fez também um crescimento muito bom ao sair dos postes. Trazer um jogador para junto dele era para aumentar o nível competitivo. Queremos um plantel curto e competitivo para que toda a gente saia da sua zona de conforto. Temos dois excelentes guarda-redes entre nós: O Svilar e o Zlobin. Temos capacidade de os termos a jogar na equipa B, como foi o caso de Oblak e Ederson no Rio Ave. Temos muita competência na baliza. Estamos muito satisfeitos com o rendimento dos três", explicou o treinador do Benfica.

Bruno Lage abordou a questão da aposta nos jovens do clube, após um mercado de inverno marcado pelas contratações de Weigl e Dyego Sousa. "A política não mudou nada. Falta uma janela... a do início da época. Tomás e Nuno Tavares subiram. É sentirmos a cada momento que os jogadores estão preparados ou não. Era importante chegarmos a este número de jogadores para ser justo para todos. É uma questão de justiça. Ter quatro jogadores para uma posição é muito difícil. Sobre os miúdos da equipa B, depende deles, do momento e da evolução. O Daniel (dos Anjos) e o Gonçalo (Ramos) têm um potencial enorme. Se não viesse o Dyego estariam a treinar com a equipa A. Havendo o Dyego é eles fazerem o seu processo normal", afirmou Lage, dando o exemplo de Ferro, que fez muitos jogos na equipa B antes de ser aposta na equipa principal e ser hoje titularíssimo.

A política "não mudou nada", mas "depende sempre do espaço que há cá em cima e do real valor dos jogadores". E sobre isso recordou um caso de um jogador do Belenenses SAD. "Ainda ontem estava a olhar para a equipa B, sempre que posso acompanho. Vi um avançado do Vilafranquense (Kikas) e olhei para a cara dele e com ajuda acabei por o reconhecer. Tinha de sido o ponta de lança que tinha feito o golo do empate do Belenenses (na última temporada). Durante uns dias deram-lhe destaque e depois chega ao Vilafranquense. Às vezes é importante dar um passo atrás para darmos dois ou três para a frente. A vida vai-nos dando oportunidades. Quem jogou ontem se não está a jogar hoje só tem um caminho: continuar a trabalhar. Porque pode-se estar numa equipa top e depois mudar para o Vilafranquense, com todo o respeito", explicou o treinador benfiquista, mandando um abraço a Kikas.

Será esse um recado para Zivkovic, que acabou por ficar no Benfica, mesmo não sendo opção? "Curiosamente, nestas três janelas, o Zivkovic tem tentado procurar a felicidade dele noutro lado e não tem acontecido. Vamos continuar a tratar o jogador com enorme respeito", prometeu Lage, revelando que o certificando internacional de Dyego já chegou, mas o avançado ainda não será opção para o jogo de terça-feira com o Famalicão (19.15).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG