Bono puxa do orgulho e motiva a Irlanda para o jogo contra a Inglaterra

Vocalista dos U2 esteve duas horas a falar com o plantel da seleção de râguebi sobre o que é ser irlandês, num encontro de incentivo para o jogo que a Irlanda irá disputar com a Inglaterra, para o Torneio das Seis Nações.

O vocalista dos U2 Bono foi ao balneário e deixou um forte incentivo à seleção de râguebi da Irlanda, antes do confronto no Torneio das Seis Nações com a Inglaterra, através de uma conversa animada com o plantel da seleção sobre o que significa ser irlandês.

O treinador inglês da Irlanda, Andy Farrell, confessou ter "ficado impressionado" com a conversa animada da lenda do rock de 59 anos no hotel da equipa na terça-feira. Bono, que diz ser fã de râguebi, mas prefere não assistir a jogos devido ao barulho que a sua mulher Ali faz, falou durante quase duas horas, uma hora a mais do que o planeado.

Três jogadores do 15 inicial nasceram fora da Irlanda - Bundee Aki na Nova Zelândia, Rob Herring e CJ Stander são naturais da África do Sul. Este último, que foi nomeado homem do jogo nas duas vitórias da Irlanda sobre a Escócia e o País de Gales, ficou especialmente impressionado.

A estrela do râguebi de 29 anos disse que Bono, cujos sucessos incluem o 'hit' de 2000 'Beautiful Day', deu uma "ótima resposta" quando foi questionado sobre o que era ser irlandês. "É algo que não se pode colocar em palavras, ou algo que não se pode definir. É algo que está em ti'", disse Stander, relembrando as palavras de Bono. "Não estou a dizer que está em mim, mas vi isso ao longo dos anos da parte de jogadores e de pessoas. Bono disse que é algo que se solta quando as coisas ficam difíceis."

Um irlandês orgulhoso

O inglês Andy Farrell conseguiu a conquista da Triple Crown (uma espécie de mini-prova dentro das Seis Nações disputada apenas por Inglaterra, Irlanda, Escócia e País de Gales) na sua primeira campanha no comando da Irlanda. Foi promovido a treinador principal a partir do cargo de técnico de defesa depois de Joe Schmidt ter deixado o cargo após o Mundial encerrando um mandato de enorme sucesso, com a vitória sobre a Inglaterra. O ex-jogador de 44 anos falou orgulhosamente do verdadeiro talento irlandês, decisivo para a vitória de 19 a 12 na abertura frente à Escócia.

No entanto, Farrell - cujo filho Owen será o capitão da Inglaterra no domingo - disse que Bono acrescentou uma vantagem extra à identidade irlandesa. "Convidamos o Bono, estava no topo da lista e podemos dizer que chegamos ao topo, o que é realmente inacreditável", disse Farrell, citado pela AFP.

"É realmente uma pessoa muito reservada, mas dedicou muito tempo e esforço para poder responder às perguntas do plantel da melhor maneira possível. É obviamente um irlandês orgulhoso."

Os irlandeses reúnem a particularidade no campeonato de terem dois hinos - devido a sensibilidades políticas históricas, com os jogadores do Ulster, província dividida com a Irlanda do Norte, a não cantarem o hino da República 'Amhran na bhFiann' (The Soldier's Song). Em alternativa, o 'Ireland's Call' foi introduzido no Mundial de 1995 e é o único cantado em jogos fora de casa.

No entanto, Jacob Stockdale, jogador do Ulster, disse que Farrell tinha posto em prática desde o início um programa para fazer os jogadores sentirem o que era ser irlandês. "Farrell quer dar-nos uma identidade e está a fazer isso através do nosso treino, mas também através de coisas como falar com Bono", disse Stockdale.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG