Boavista 0-5 FC Porto. Corona mostra, Marega castiga

Goleada por 5-0 do campeão na visita ao Bessa, para o dérbi com o rival do Porto. Corona mostrou como se faz, Marega bisou e FC Porto castigou o Boavista

Dérbi portuense com chuva e vitória folgada do FC Porto, uma combinação altamente provável em qualquer altura do ano. Mesmo se a versão da equipa das Antas não é a melhor e o Boavista até se bate bem (e não: bate bem). Corona mostrou o caminho e os golos sucederam-se em menos de 25 minutos. De 0-0 aos 46" para 0-4 aos 71", com bis de Marega. E o campeão não só ganhou, como goleou na visita ao vizinho.

A primeira parte teve apenas uma constância: a chuva impenitente. Não forte, mas a um ritmo cadente e certo. Longe do que faziam os vizinhos e rivais da Invicta. O FC Porto com mais chispa na frente, afinal Marega tem potência inesgotável, mesmo se por vezes, algumas vezes, trapalhona. Mas o maliano não concorre a melhor do mundo. Em Portugal, não há muito melhor.

A primeira parte, então. Uribe acerta no ferro da baliza de Léo Jardim, Marega causa estragos, mas não consegue bater o guarda-redes - ou que os colegas o fizessem nas iniciativas generosas que o caracterizam. O Boavista assustou Marchesín duas vezes, e fechava bem as saídas desde trás do FC Porto.

Na segunda parte, esperava-se alguma dificuldade para o FC Porto, apesar de Alex Telles (que saca sempre qualquer coisa daquele pé esquerdo). Ou de Corona, pois, ele que andou escondido entre as teias da luta no miolo.

Tecatito estava na área, houve um ressalto e a bola ficou à frente dos pés do mexicano. Grande tiro para onde Léo não chegava nem de véspera. O golo foi logo aos 47".

Um introito: livre sobre a direita, Sauer estoura e Marchesín sacode, Javi García cabeceia, mas o gato argentino já estava de pé e salva duas vezes.

O golo de Corona. Foi cedo, na segunda parte, e libertou a ansiedade sobre um Boavista em que quase todos chegaram este verão. E libertou a pressão sobre o campeão.

Num livre, pouco depois (59"), Sérgio Oliveira disparou contra a barreira, bola desvia a trajetória (ia para Léo Jardim) e acaba no fundo das redes. Um cruel 0-2? Não, as bolas a entrarem na baliza.

Menos de 10 minutos volvidos, o 0-3. Marega a finalizar após um belo passe de Sérgio, aos 67". Aos 71", goleada. Livre muito praticado no Olival, bola para o segundo poste, devolvida para perto do primeiro, Marega resolve o ping-pong com um tiro para o fundo das redes. Noutro lance semelhante, coube a Luis Díaz fazer de Marega e fechar a goleada de mão cheia (90"+2").

E sem ter de ser brilhante, sem sofrer grande coisa, o FC Porto voltou a ganhar ao Boavista e no Bessa. Ganhar a golear numa visita a casa do rival e vizinho da cidade do Porto.

Voltando ao início: chuva e FC Porto a ganhar o dérbi. O FC Porto venceu os 13 últimos jogos realizados frente ao Boavista, está invicto no dérbi há 16 jogos, o Boavista não marcou um único golo nos últimos oito encontros com os dragões. E a última vez que bateu o dragão foi há 13 anos. Em abril de 2007 (2-1).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG