Benfica empata na Covilhã e compromete apuramento

Encarnados empataram com o Sp. Covilhã, na segunda jornada do Grupo B da Taça da Liga. Bonani marcou para os serranos e Jota para as águias.

O Benfica empatou na Covilhã, com o quinto classificado da II Liga, em encontro da segunda jornada do Grupo B da Taça da Liga e comprometeu o apuramento para a fase seguinte da prova. Num grupo em que apenas o primeiro para as meias-finais, o Sporting da Covilhã e o Benfica somam agora dois pontos, em dois jogos, enquanto Vitória de Setúbal e Vitória de Guimarães, que se defrontam quarta-feira, no Bonfim, contam com um ponto cada.

Com Zivkovic em estreia absoluta esta época (não jogava desde abril), RDT de volta ao ataque, Samaris ao meio campo, Jardel na defesa e Zlobin na baliza, o Benfica entrou no jogo aos soluções.

Aos cinco minutos Castanheira assustou, mas viu Zlobin negar-lhe o golo. Foi por pouco que o avançado não aproveitou o erro a meias entre o guardião russo e Rúben Dias! Aos 12 minutos foi a vez do Benfica fazer tremer a defensiva beirã. Gedson tirou as medidas à baliza, mas acertou na barra da baliza de Bruno Bolas.

A partir dos 15 minutos, os encarnados ameaçaram pegar no jogo, começaram a ter mais bola e cortaram as ligações defesa-ataque do Sp. Covilhã, que sentia cada vez mais dificuldades a sair com bola desde o seu meio campo e recorria a bolas longas e pelo ar. Foi assim que aos 20 minutos, João Bonani colocou Zlobin em sentido.

Respondeu o Benfica por RDT. O avançado invadiu a área e caiu na área, numa disputa pela bola com Bruno Bolas, ficando a pedir grande penalidade. Num jogo à moda antiga, sem VAR, o árbitro Rui Oliveira mandou jogar apesar dos protestos benfiquistas. O espanhol voltou a ser protagonista pouco depois quando Tomás Tavares o lançou de longe para mais uma oportunidade de golo. RDT fez tudo bem. Recebeu a bola e rodou sobre o defesa, para depois rematar com força à baliza... só que Bruno Bolas estava atento e adivinhou o lado do remate impedindo assim que o Benfica se adiantasse no marcador.

Antes do intervalo mais uma oportunidade de golo para o Sp. Covilhã. Castanheira viu-se se opositor e tentou o golo de muito longe, com a bola a sair centímetros acima da barra da baliza benfiquista. Os beirões foram para o balneário com um par de boa oportunidades de golo, tal como o Benfica, a quem era exigido mais no primeiro tempo.

Um golo supersónico

No regresso dos balneários, Bruno Lage deixou Florentino no balneário e meteu Carlos Vinícius, que tem andado com o pé quente, mas a segunda parte começou mesmo com o golo do Sp. Covilhã. O técnico do Benfica ainda nem tinha chegado ao seu lugar no banco, quando Bonani ganhou um par de ressaltos, invadiu a área e atirou colocado, sem hipóteses para Zlobin. Uma contrariedade que levou o treinador encarnado a meter no jogo Pizzi (para o lugar de Zivkovic) e Taarabt (para o lugar de Samaris) de uma assentada. O Benfica passou a meter mais respeito e Nuno Tavares levou a bola ao poste por duas vezes em dois cruzamentos tensos. Depois, o jovem lateral, colocou a bola na cabeça de Vinícius, que falhou o alvo por pouco.

Com o jogo dividido Castanheira esteve perto do segundo para o Covilhã, mas foi o Benfica a chegar ao empate. Jota apareceu no jogo aos 83 minutos para fazer o 1-1 final, mas não sem antes oferecer o triunfo à equipa. A bola não entrou e o jogo chegou ao fim empatado.

Apesar do empate as águias ainda podem passar à fase seguinte de uma prova que já conquistaram sete vezes, mas os jogadores não se livraram de alguns assobios dos adeptos presentes no estádio. Afinal foi o primeiro jogo fora de casa que o Benfica não venceu esta época. Já Bruno Lage continua sem vencer na Taça da Liga (dois empates e uma derrota).

VEJA OS GOLOS

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG