Beijo na boca de Maradona deu sorte para Tévez marcar golo do título

O Boca Juniors sagrou-se campeão argentino numa última jornada imprópria para cardíacos. E há quem diga que foi com a bênção de El Pibe.

O Boca Juniors sagrou-se campeão argentino, na madrugada deste domingo, numa última jornada digna de um filme de Alfred Hitchcock. É que antes do apito inicial, os xeneizes estavam com um ponto de atraso em relação ao líder e rival River Plate e, após 90 minutos, a equipa onde jogam os ex-benfiquistas Salvio e Lisandro López puderam fazer a festa.

As possibilidades de conquistar o título eram reduzidas, até porque o River jogava no campo do Atlético Tucoman, mas ainda assim o mítico estádio La Bombonera encheu-se de esperança, quanto mais não fosse para homenagear Diego Maradona, o maior ídolo do clube que regressava como treinador adversário, o Gimnazia y Esgrima.

As emoções estiveram ao rubro antes do início da partida com as honras feitas a El Pibe, que beijou o relvado quando entrou em campo. Depois, um momento simbólico, quando o veterano avançado Carlitos Tévez se dirigiu a Maradona, deu-lhe um beijo na boca e um abraço emotivo. Um cumprimento efusivo que acabou por dar sorte ao antigo jogador do Manchester United e da Juventus.

É que, aos 72 minutos, Tévez marcou o único golo da partida que permitiu vencer o Gimnasia e, consequentemente, conquistar o título de campeão, até porque, em San Miguel de Tucoman, o River Plate não foi além do empate 1-1. Aliás, o avançado de 36 anos foi importantíssimo para esta conquista xeneize, uma vez que marcou seis golos nos últimos sete jogos que realizou, acabando por ser a grande figura da equipa.

"Voltei a ter fome de glória. Voltei a sentir que tinha de regressar ao meu bairro [Fuerte Apache], abdicar de uma série de coisas, como uma criança que está a começar. Isso foi fundamental", disse Tévez, no meio da festa, visivelmente emocionado por ter voltado a ser importante no clube do seu coração.

"Este título foi como o primeiro. Não sei quantos títulos tenho, mas este é como o primeiro. Não se pode explicar, é uma das maiores emoções que tive no futebol. Não foi um milagre, lutámos e acreditámos até ao final", finalizou.

O Boca Juniors conquistou o 69.º título de campeão argentino. A festa foi de arromba na Bombonera e um dos jogadores mais emocionados nos festejos foi Eduardo Salvio, que, em pleno relvado, se ajoelhou para abraçar a mãe que recupera de uma intervenção cirúrgica para a remoção de um tumor diagnosticado há alguns meses.

Salvio, que no verão de 2019 trocou o Benfica pelo Boca Juniors, não escondeu a emoção nos festejos do título pelo clube pelo qual torce deste criança. "Desde menino que sonho com isto, poder vestir esta camisola, estas cores. Estou feliz, trabalhámos muito e a forma como o conseguimos foi espetacular", disse, aproveitando para dedicar o título à sua família: "Dedico-o à minha mãe, à minha mulher e aos meus filhos."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG