Barcelona perde em Valência e fica com a liderança em risco

O Real Madrid pode saltar para a liderança, depois de o Barça ter sido derrotado por 2-0 em Valência, numa partida antecedida por cenas de violência. Raúl de Tomás voltou a marcar pelo Espanyol num jogo marcado pelo racismo.

O Barcelona foi derrotado este sábado em Valência, por 2-0, em jogo da 21.ª jornada da Liga espanhola. Um resultado que deixa a equipa agora treinada por Quique Setién com a liderança em risco, uma vez que o Real Madrid joga este domingo em Valladolid e basta-lhe um empate para se isolar no primeiro lugar.

A quarta derrota dos catalães na Liga e a primeira do novo treinador começou a desenhar-se já depois de o guarda-redes Andre ter Stegen ter defendido um penálti de Maci Gómez, pois aos 48 minutos Jordi Alba marcou na própria baliza e colocou os valencianos em vantagem.

Aos 77 minutos, Maxi Gómez redimiu-se do penálti falhado e fez o segundo golo do Valência que confirmou a conquista dos três pontos, que permitem à equipa de Gonçalo Guedes e Thierry Correia, que não jogaram, subir ao quinto lugar com 34 pontos, a nove do Barça.

Este jogo ficou, no entanto, marcado por cenas de pancadaria no exterior do Estádio Mestalla ainda antes do início da partida, com confrontos entre adeptos dos dois clubes que semearam o pânico no local. O Valência já veio entretanto condenar as cenas de violência, considerando em comunicado que "nada têm a ver com os valores do clube, nem representam a sua grande massa adepta".

Raúl de Tomás volta a marcar

Quem voltou a estar em grande foi o ex-benfiquista Raúl de Tomás, que marcou o terceiro golo em três partidas pelo Espanyol, sendo que desta vez salvou a sua equipa da derrota em casa com o Athletic Bilbau.

Os bascos colocaram-se em vantagem aos 12 minutos através de Asier Villalibre, tendo o Espanyol conseguido o empate aos 63 minutos por De Tomás, um golo que permite à equipa deixar, para já, o último lugar da Liga espanhola.

Esta partida ficou ainda marcada por uma denúncia de insultos racistas por parte de Iñaki Williams. Tudo terá acontecido quando aos 69 minutos o avançado foi substituído por Raúl García, tendo então ouvido os insultos proveniente das bancadas quando se dirigia para o banco de suplentes da sua equipa.

"Vou um pouco triste pelo empate e porque sofri insultos racistas. É algo que nenhum jogador de qualquer raça quer ouvir e que está totalmente fora do contexto, porque as pessoas têm de vir ao estádio para desfrutar do futebol e apoiar a sua equipa. Este é um desporto de amizade, de equipa e por isso é um dia triste", afirmou Iñaki Williams.

O árbitro não se apercebeu do incidente durante a partida, pelo que nada vem referido no relatório, razão pela qual será difícil que o Comité de Disciplina da Liga possa castigar o Espanyol pelo sucedido.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG