Árbitros estrangeiros a apitar em Portugal? A visão de três figuras do Benfica

António Simões diz que pedido do Benfica "é aceitável em face do clima existente" e António Figueiredo considera que assim "os erros não seriam sempre para o mesmo lado". Já Gaspar Ramos discorda e acha que seria "passar uma má imagem" de Portugal lá para fora.

O pedido de árbitros estrangeiros para apitar em Portugal não é original, mas desta vez surgiu a pedido do Benfica. Na sequência da atuação de Artur Soares Dias no Dragão - e de outras arbitragens que no entender das águias têm beneficiado o FC Porto e prejudicado os encarnados -, o clube da Luz fez essa solicitação à Liga e à Federação Portuguesa de Futebol. Até ao final desta temporada, o Benfica quer que os seus jogos e os do principal rival na luta pelo título sejam dirigidos por estrangeiros.

O DN contactou três figuras ligadas ao Benfica para perceber se concordam com este pedido. António Simões (antiga glória do clube nas década de 1960 e 1970) e António Figueiredo (ex-vice-presidente para o futebol na presidência de Manuel Damásio) são adeptos desta ideia. Já Gaspar Ramos, que nas décadas de 80 e 90 chefiou o departamento de futebol dos encarnados, discorda.

António Simões explica por que razão esta poderá não ser uma má ideia: "Em Portugal, invertemos completamente as coisas na arbitragem. Mais do que saber se os árbitros são competentes, estamos mais preocupados com a sua honestidade. Este pedido do Benfica, que não é novo e já teve origem em outros clubes, significa que não confiamos nos nossos árbitros. Em face do clima existente, acho que seria uma medida aceitável."

Simões defende que os juízes estrangeiros seriam muito menos pressionáveis. "Vamos supor que os jogos do campeonato passam a ser apitados por cidadãos estrangeiros. Eles chegam na véspera do jogo, vão para um hotel e não têm contacto com as pessoas. Não havia hipótese de haver grandes pressões", diz. Por outro lado, lembra que "é muito comum haver árbitros portugueses no estrangeiro e no mundo, por isso o contrário também seria natural".

No entanto, o ex-jogador do Benfica sublinha que a imagem do nosso futebol sairia beliscada. "É um atestado de incompetência para o setor e como país campeão da Europa não ficaríamos bem vistos internacionalmente. Mas reafirmo que não ficaria chocado se isto fosse para a frente", refere. A terminar, pediu "maior intervenção pública por parte dos responsáveis do setor da arbitragem em Portugal". Na sua opinião, em face das muitas polémicas que têm existido "seria positivo que essas pessoas responsáveis se fizessem ouvir com mais frequência".

Figueiredo e as "arbitragens miseráveis dos melhores árbitros portugueses"

António Figueiredo confessa a sua total concordância em relação a este pedido feito pelo Benfica. "Basta ver as recentes arbitragens miseráveis daqueles que são considerados os melhores árbitros portugueses. O Artur Soares Dias fez o que fez no FC Porto-Benfica e o Jorge Sousa também esteve muito mal no Sp. Braga-Sporting", começou por referir.

Ainda assim, o antigo dirigente do Benfica tem a noção de que os erros graves iriam continuar a existir mesmo com estrangeiros a apitar. "Eu vejo sempre os jogos do campeonato inglês e também existem erros colossais. Mas aí os erros não são todos para o mesmo lado, como acontece em Portugal. O problema é que no nosso país as pessoas já não acreditam em nada e alguma coisa tem de ser feita", atirou.

António Figueiredo tem no entanto a certeza de que "este pedido do Benfica vai cair em saco roto". Artur Soares Dias vai continuar a marcar grandes penalidades escandalosas a favor do FC Porto", atirou, deixando ainda críticas aos principais organismos que tutelam o futebol português: "Não espero nada da Federação e do senhor Fernando Gomes, bem como da Liga de Clubes. Já se percebeu bem de que lado é que eles estão! É por isso que entendo que isto só vai lá se a arbitragem for gerida por um organismo independente".

O antigo dirigente do Benfica deixou duras críticas à arbitragem de Artur Soares Dias no clássico de sábado. "O que esperar de alguém que nem sequer dá amarelo naquela agressão bárbara do Marega logo aos quatro minutos? E quero ver quantos penáltis como aquele do Ferro é que este senhor vai marcar nos próximos meses. Vou estar atento!", prometeu, defendendo que Artur Soares Dias "não está em condições de apitar jogos do FC Porto, depois de ter sido atacado por elementos dos Super Dragões no Centro de Estágios da Maia".

Gaspar Ramos questiona imagem internacional de Portugal

Dos três benfiquistas inquiridos pelo DN, Gaspar Ramos foi o único a não concordar com o pedido de árbitros estrangeiros para apitar jogos do Benfica e do FC Porto. "Considero que não iria resolver grande coisa. Há bons árbitros e árbitros menos bons em todos os países. Também não me parece que os árbitros vindos de fora fossem alvo de menor pressão", defendeu.

Na opinião do antigo chefe de departamento de futebol do Benfica, esta medida seria prejudicial para futebol. "Como ficaria a imagem internacional para Portugal? Seríamos falados como o país que foi obrigado a chamar árbitros estrangeiros porque os nossos não têm qualidade", realçou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG