Afinal, Maradona continua no Gimnasia após manifestação dos adeptos

Na terça-feira El Pibe apresentou a demissão devido ao anúncio do presidente em não se recandidatar às eleições no clube. Exigiu unidade e os adeptos responderam com manifestações. Candidatos e presidente reuniram-se e vão avançar com uma lista única.

Nem 48 horas passaram da saída de Diego Maradona do cargo de treinador do Gimnasia y Esgrima e eis que a antiga estrela argentina está de regresso ao clube, que ocupa o antepenúltimo lugar do campeonato.

E tudo porque os adeptos do clube de La Plata se manifestaram nas ruas contra a saída de Maradona, que na terça-feira bateu com a porta considerando que não havia união em torno da equipa, depois de o presidente Gabriel Pellegrino ter anunciado também a saída do clube, pois não se recandidataria às eleições que se realizam este sábado.

Após a manifestação, houve uma reunião entre o atual presidente e os candidatos às eleições para a direção do Gimnasia e todos mostraram estar em sintonia para houvesse unidade no clube. "Vai haver uma lista única para que as eleições se realizem depressa e nos possamos focar no clube", anunciou Pellegrino, passando a bola para o treinador: "Maradona exigiu que houvesse unidade e agora estamos à espera da sua resposta."

A resposta chegou esta quinta-feira. Maradona sentiu que foram cumpridas as exigências que fez com a criação da lista única às eleições e, como tal, satisfez o pedido dos adeptos e está de volta ao banco para orientar o Gimnasia que luta desesperadamente pela manutenção no principal escalão do futebol argentino.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG