Verstappen com meia vitória no GP mais curto de sempre

O holandês venceu a corrida em Spa, na Bélgica, que esteve prevista para as 14:00, mas foi adiada. Este passou a ser o Grande Prémio mais curto de sempre, superando uma corrida em Adelaide, na Austrália, em 1991.

O holandês Max Verstappen (Red Bull) venceu este domingo o Grande Prémio da Bélgica de Fórmula 1, o mais curto de sempre do Mundial, com duas voltas percorridas atrás do safety car, devido à chuva.

Depois de três horas de suspensão, a corrida foi iniciada e novamente interrompida, após 10 minutos, por bandeira vermelha, mantendo-se as posições da formação da grelha de partida, com Verstappen na primeira posição, devido à pole position conquistada no sábado.

O holandês foi declarado vencedor da corrida à frente dos britânicos George Russell (Williams), que também graças à qualificação alcançou a melhor classificação da carreira, e Lewis Hamilton (Mercedes), sete vezes campeão do mundo, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Atendendo a que não foram percorridos 75% das 44 voltas inicialmente previstas foram atribuídos metade dos pontos, 12,5 para Verstappen, nove para Russell e 7,5 para Hamilton, que permanece na liderança do campeonato, com 202,5 pontos, mais três do que o holandês da Red Bull.

O mais curto Grande Prémio de Fórmula 1 remontava a 1991, em Adelaide, na Austrália, onde as chuvas torrenciais impediram que fossem cumpridas as 88 voltas previstas. A corrida foi reduzida a 16, tendo sido validadas 14, das quais saiu vencedor o brasileiro Ayrton Senna, à frente do britânico Nigel Mansell e do austríaco Gerhard Berger.

A corrida, que tinha início previsto para as 14:00 de Lisboa, sofreu um atraso devido às condições meteorológicas e apenas pelas 14:25 os pilotos saíram para a volta de formação atrás do safety-car, mas a direção de corrida mostrou a bandeira vermelha e suspendeu o arranque da prova.

"Está muito mau", disse Lando Norris. "Mal consigo ver o carro em frente. Um pouco de 'aquaplanning' também", disse o piloto da McLaren. Max Verstappen, que devia sair em primeiro lugar da grelha de partida, também se queixava de nem conseguir ver o 'safety car'.

Sérgio Pérez (Red Bull) despistou-se na volta para posicionar o seu carro na grelha de partida. O atraso na corrida poderia jogar a favor do piloto mexicano, pois enquanto a corrida estava suspensa os mecânicos procuram reparar o monolugar de Checo.

Uma qualificação disputada

Max Verstappen, que conseguiu a volta mais rápida qualificação para o grande prémio da Bélgica, saiu do primeiro lugar no circuito de spa este domingo. Nas 12 corridas do ano, esta é a sexta vez que ocupa o primeiro lugar na grelha. Em segundo ficou George Russell, que assim trouxe a Williams de volta aos primeiros lugares da grelha de partida (o que nem sempre tem acontecido nos últimos anos).

O campeão em título Lewis Hamilton (Mercedes) saiu do terceiro lugar e Daniel Ricciardo (McLaren-Mercedes) em quarto. O seu colega de equipa Lando Norris sofreu um acidente na qualificação e uma penalização de cinco lugares por ter realizado mudanças na caixa de velocidades. Vallteri Bottas e Lance Stroll também receberam penalizações na sequência de acidente no grande prémio da Hungria (antes das férias de verão da F1).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG