Treinador do Benfica desvaloriza casos de covid-19: "Plantel dá todas as garantias"

Os encarnados defrontam o Paços de Ferreira sem seis jogadores, que estão infetados. Nélson Veríssimo garante que derrota do Sporting não é incentivo extra para Benfica.

Nélson Veríssimo, treinador do Benfica, disse este sábado que a derrota do Sporting frente ao Santa Clara não é um incentivo extra para a sua equipa, mas assumiu o objetivo de encurtar distâncias para leões na I Liga.

Em conferência de imprensa de antevisão à receção deste domingo ao Paços de Ferreira, Nelson Veríssimo foi o primeiro a lembrar que "ganhando amanhã [domingo]", o Benfica pode "encurtar a distância para um dos rivais", mas frisou que a pressão da sua equipa é sempre a de "lutar em todos os jogos pela vitória".

"Não há incentivo extra. O nosso incentivo é, jogo após jogo, lutar pela vitória e conquistar os três pontos. Isso não muda nada. O que mudou em relação ao resultado do Sporting é que podemos encurtar distâncias em função do resultado de amanhã", afirmou o treinador dos encarnados, no Seixal, quando questionado diretamente sobre o tropeção dos leões.

Sem se deter, Veríssimo acrescentou, ainda, que a sua equipa não tem "margem para errar" em todos os jogos "até ao final da Liga" e que "cada jogo é uma luta pelos três pontos" que a sua equipa tem de ganhar.

"É esse o nosso propósito, independentemente do que possa acontecer à frente. Agora, obviamente, o objetivo passa por, ganhando todos os nossos jogos, encurtar distâncias para os dois clubes que vão nos lugares da frente", admitiu.

Sobre o encontro com o Paços de Ferreira, o sucessor de Jorge Jesus frisou que o plantel "dá garantias", apesar de ter, pelo menos, seis jogadores infetados com covid-19: os guarda-redes Vlachodimos e Mile Svilar, o defesa Jan Vertonghen, os médios Meité e Pizzi, bem como o avançado Yaremchuk.

"É uma realidade que afeta todos os clubes. Muito embora não tendo alguns jogadores disponíveis um função dos casos positivos de covid-19, temos todas as garantias em função da qualidade do plantel para apresentar uma equipa competitiva, com qualidade e, obviamente, [os jogadores disponíveis] vão deixar-nos bem, de certeza", desvalorizou Veríssimo.

O técnico, que vai cumprir o segundo jogo, nesta época, ao leme dos encarnados, lembrou ainda que o Paços de Ferreira também tem apenas dois jogos com César Peixoto a treinar a equipa, "curiosamente duas vitórias", e admitiu que isso condicionou o estudo do adversário em ambos os lados.

"A nossa análise centrou-se essencialmente nesses dois jogos [de César Peixoto nos castores], mas também em jogos que o treinador tenha feito noutras equipas com clubes de maior dimensão. E obviamente, tal como para o César Peixoto, é um desafio para nós, relativamente à forma como o Paços de Ferreira se vai apresentar", reconheceu.

Ainda assim, Veríssimo acredita que o seu opositor "vai apresentar uma linha de cinco" defesas, faltando apenas "saber se é uma linha de quatro com mais um médio ala a completar a linha de cinco ou três centrais e dois laterais".

O Benfica recebe o Paços de Ferreira no domingo, às 18.00 horas, em encontro da 17.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Vítor Ferreira, da Associação de Futebol de Braga.

O técnico Nelson Veríssimo procura a primeira vitória desde que sucedeu a Jorge Jesus no comando dos encarnados, antes da derrota (3-1) frente ao FC Porto, enquanto César Peixoto visita o Estádio da Luz em busca da terceira vitória noutros tantos encontros desde que sucedeu a Jorge Simão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG