Taremi esteve retido, mas chegou a tempo de colocar o Irão no Mundial 2022

Avançado iraniano esteve três dias retido no aeroporto da Turquia devido ao mau tempo.

Taremi chegou literalmente a tempo de colocar o Irão no Mundial 2022. Retido durante quase três dias no aeroporto de Dalaman (Turquia), depois de um forte nevão o impedir de apanhar o voo de ligação para Teerão, o avançado do FC Porto foi resgatado pela federação iraniana, que enviou um avião particular para o ir buscar, de forma a poder contar com ele para o jogo desta quinta-feira. Dinheiro bem gasto, tendo em conta que ele marcou o golo que colocou a seleção no Qatar.

Taremi aterrou na capital iraniana na madrugada de quinta-feira, fez o teste à covid-19, testou negativo e só depois se apresentou na seleção... apenas algumas horas antes de entrar em campo às 14.30. Com Sardar Azmoun infetado com covid-19, a chegada do avançado foi uma boa notícia para o selecionador Dragan Skocic, que foi contra as previsões e o colocou a jogar de início apesar da esgotante viagem. Ele jogou e foi o herói do jogo ao marcar o golo que deu o triunfo à seleção, sobre o Iraque (1-0), aos 48 minutos.

Foi o sexto triunfo em sete jogos dos iranianos no Grupo A da terceira fase de qualificação asiática, que garantiram assim a sexta presença do país em campeonatos do Mundo, depois de 1978, 1998, 2006, 2014 e 2018. O Irão lidera o Grupo A com 19 pontos, contra 17 da Coreia do Sul de Paulo Bento, que ainda se pode qualificar hoje, se os Emirados Árabes Unidos não vencerem a Síria.

O Irão, 14.º país com lugar garantido na prova, junta-se às seleções sul-americanas de Argentina e Brasil, ao anfitrião Qatar e às europeias Alemanha, Bélgica, Croácia, Dinamarca, Espanha, França, Inglaterra, Países Baixos, Sérvia e Suíça.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG