Suíça de boa memória para Ronaldo acabar seca de cinco jogos sem golos

Capitão volta hoje ao onze apostado em terminar jejum de 388 minutos sem golos na seleção, algo que não acontecia há 10 anos. Na última vez foi o carrasco dos helvéticos.

A seleção portuguesa defronta hoje a Suíça (19.45, RTP1), em Alvalade, no segundo jogo do Grupo 2 da Liga das Nações, um duelo onde Cristiano Ronaldo deverá voltar à titularidade e onde irá tentar colocar um ponto final na seca de golos ao serviço da seleção que já dura há cinco jogos - os últimos foram a 12 de outubro de 2021, com um hat-trick ao Luxemburgo.

É coisa rara ver-se CR7 no banco de suplentes e também é muito pouco frequente o avançado estar cinco jogos seguidos sem picar o ponto (na seleção ou a nível de clubes). A condição de suplente aconteceu no jogo anterior, diante da Espanha, que terminou empatado a um golo. Uma opção de Fernando Santos tendo em conta os quatro jogos em 11 dias de Portugal que vai obrigar a que haja rotação. Mas hoje a presença do capitão no onze parece um dado adquirido.

Melhor goleador da história a nível de seleções (187 jogos e 115 golos), desde 2012, ou seja há precisamente 10 anos que Ronaldo não enfrentava uma seca tão grande sem conseguir marcar golos pela seleção. Nessa altura (entre 29 de fevereiro e 13 de junho de 2012) ficou em branco precisamente em cinco jogos consecutivos onde participou - Polónia (0-0), Macedónia do Norte (0-0), Turquia (1-3), Alemanha (0-1) e Dinamarca (3-2).

No mais que provável regresso à condição de titular, Ronaldo tem um ponto a seu favor. Na última vez que defrontou os helvéticos (em 2019), acabou por ser o herói do jogo, ao marcar três golos no triunfo por 3-1, curiosamente num jogo da mesma competição, disputado no Estádio do Dragão, que na altura abriu as portas da final à seleção, que haveria de vencer a prova. Um presságio para Ronaldo esta noite, ele que ontem foi eleito "Jogador do Ano" pelos adeptos do Manchester United, igualando o recorde de quatro distinções do guarda-redes espanhol David de Gea.

Esta foi uma das épocas menos produtivas de Cristiano Ronaldo em termos de golos - juntando Manchester United e seleção, apontou 29 em 45 jogos. Pior só na temporada 2008-09, na sua primeira passagem pelo clube de Old Trafford, quando terminou a temporada com 27 golos. Mas se estiver de pontaria afinada nestes três jogos da seleção (Suíça, casa e fora, e Rep. Checa), pode ainda igualar ou passar o registo de 2018-19, quando chegou ao final da época com 31 golos.

Elogios a Danilo e à Suíça

Fernando Santos rejeitou ontem, na conferência de imprensa de lançamento do jogo, colocar em campo uma equipa totalmente nova contra a Suíça. "Equipa nova não, nem faria sentido. Algumas alterações haverá sempre, por causa do tempo de recuperação entre os jogos. Serão feitas no início e no decorrer do próprio jogo, mantendo aquilo que é a qualidade da equipa e para ter um nível muito equilibrado. Quem jogar vai manter a matriz", disse.

Para Fernando Santos, "os jogadores têm a sua absoluta confiança e todos podem jogar", garantindo que os 26 convocados "não vêm para a seleção para olhar, comer, dormir e treinar". "Em relação à Suíça, é uma equipa que cresceu muito nos últimos 10 anos. Está sempre presente em fases finais, com passagem garantida às fases seguintes, no último Europeu mostrou a sua qualidade, chegou longe na fase a eliminar e saiu nos penáltis. Mostra que têm enorme qualidade, com jogadores muito bons e que conhecem muito bem o jogo. Valem muito pela sua ação coletiva", analisou.

O selecionador deixou ainda um elogio a Danilo, que tem sido adaptado a defesa central: "Confio no Danilo como central. Se a pergunta é essa, a resposta é sim, penso que o Danilo joga muito bem a central. Ele reflete isso em campo, e nos últimos três jogos tem-no feito de forma clara. Mas isso não retira que outros jogadores possam jogar nessa posição, tanto os que cá estão como os que estão nos sub-21. Na altura certa tomarei as decisões relativas a outra convocatória."

Sobre CR7, Santos recusou qualquer tipo de frustração do capitão português por ter sido suplente no embate com a Espanha. "Frustração de não ser primeira escolha porque não jogou este jogo? Só tenho 11 jogadores para jogar, não me parece que alguém tenha notado frustração. Para mim é simples, o Cristiano é o melhor jogador do Mundo, e a escolha dele de ficar no Manchester United não tem a ver comigo, não tenho de dizer se acho bem ou mal. Não é qualquer um que joga no Manchester. United, isso é que é verdade".

nuno.fernandes@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG