Santos confirma que Ronaldo está em dúvida e explica porque quer Portugal a passar em primeiro

Fernando Santos confirmou que Nuno Mendes não vai jogar mais neste Mundial. E quer passar em primeiro do grupo para a seleção ter mais 24 horas de descanso. Ronaldo está em dúvida e pode haver gestão na equipa por causa da fadiga e dos amarelos.

Fernando Santos confirmou esta quinta-feira, no lançamento do jogo desta sexta-feira com a Coreia do Sul, que o Mundial acabou mesmo para Nuno Mendes, devido a lesão. E revelou que a intenção da seleção nacional é terminar o grupo em primeiro lugar, não tanto para evitar o Brasil, mas para ter mais um dia descanso antes do jogo dos oitavos-de-final. CR7 está para já em dúvida.

"O Nuno Mendes vai estar fora deste Mundial, mas vai continuar connosco. O clube acedeu a esse seu desejo. O que temos de fazer amanhã é vencer, queremos ficar em primeiro do grupo, mas sabemos a dificuldade que este jogo encerra. Fizeram dois jogos tremendos, apesar de os resultados não terem correspondido. É uma seleção que tem muito dos princípios do Paulo Bento. Os jogadores nunca dão um lance por perdido e lutam até ao último segundo. Vai ser um jogo difícil", referiu o selecionador.

A Federação Portuguesa de Futebol também confirmou que Nuno Mendes "foi dado como indisponível para os trabalhos da seleção nacional pela Unidade de Saúde e Performance". "O jogador sofreu uma lesão muscular, na coxa esquerda, durante o confronto com o Uruguai", explica em comunicado, no qual salienta que "Nuno Mendes continuará integrado na comitiva nacional, onde iniciará o trabalho de recuperação".

Santos não abriu muito o jogo, mas deu a entender que poderá fazer alguma rotatividade no jogo frente à Coreia do Sul. Não só por ter jogadores amarelados, mas porque alguns começam a acusar fadiga. "O mais importante é a confiança que tenho nos jogadores. Jogar de quatro em quatro dias começa a doer um bocado. Temos um ou outro que tem fadiga, e por isso vamos ter de avaliar, assim como no caso da gestão dos amarelos. Mas tenho confiança em todos. Irá jogar a equipa na qual tenho mais confiança", atirou.

Certas são as ausências de três jogadores no embate com a Coreia do Sul, pois além de Nuno Mendes, também Danilo e Otávio estão indisponíveis.

Santos voltou a repetir que Portugal "quer ficar no primeiro lugar do grupo" e explicou a principal razão. "Entendo a questão que me colocam quando dizem que queremos o primeiro lugar para fugir ao Brasil. Mas nem eu nem o Tite [selecionador brasileiro] estamos preocupados com isso. Importante sim é que se ficarmos em primeiro lugar, teremos mais 24 horas de descanso", indicou.

Um dos jogadores que poderá ser poupado frente à Coreia do Sul é Cristiano Ronaldo, mas também neste caso Santos não foi concludente. "Vamos ver. Em princípio vai treinar, e se estiver em condições faz parte do lote de jogadores disponíveis. Nem sei se é 50/50. Se há um plano para o caso de Ronaldo não jogar? Claro que sim, mal de nós se não tivéssemos", referiu, acrescentando: "Não vou deixar de dormir se um jogador nao puder jogar. Mas fico obviamente triste por eles. Eu acredito que temos uma grande geração de jogadores de qualidade"

A salada de Pepe

Pepe foi o jogador designado para falar esta quinta-feira na sala de imprensa. O central de 39 anos admitiu que viveu momentos complicados antes do Mundial, devido a uma lesão, mas que acreditou sempre que poderia estar no grupo

"Quando me lesionei não dormia porque queria recuperar rápido para poder estar no Mundial e dar o contributo à minha seleção", disse, confirmando que está a 100%: "Se estou na seleção é porque estou apto para poder jogar. Não fui no primeiro jogo [com o Gana] por opção do treinador."

O central, à beira de fazer 40 anos, não quis confirmar se este será o seu último Mundial, mas deixou uma mensagem de esperança na nova geração de jogadores, em particular ao jovem benfiquista António Silva: "Não vou dizer se é o último ou não Estou aqui para desfrutar ao máximo deste Mundial. Temos belíssimos jogadores, espero que o António possa fazer o seu percurso, como o Rúben Dias. Desejo-lhe sorte e que ele possa ser feliz e ajudar Portugal"

Garantindo que Portugal vai trabalhar para chegar o mais longe possível na prova, e elogiando a seleção da Coreia do Sul, "uma equipa bem organizada que sabe o que faz dentro do campo", Pepe abordou ainda a evolução da seleção nacional nos últimos. "Vou dar um exemplo que ouvi no outro dia. Temos todos os ingredientes, mas se não os juntarmos, não o podemos fazer. Foi um exemplo que o mister nos deu. Se não os juntarmos e não fizermos a salada, não adianta o tomate ou a cebola estarem sozinhos. Se não trabalharmos, não respeitarmos os adversários, não fizermos o que o treinador prepara, de que adianta termos muita qualidade? O mais importante é o grupo saber, independentemente de quem joga, que temos de dar o melhor a vestir a bandeira", referiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG