Rúben Amorim: "Quando há uma expulsão penso sempre que é a última"

Treinador do Sporting abordou o duelo com o Nacional de amanhã (20.30, Sport TV) e voltou a adiar candidatura ao título: "Festejar na Luz? Seja onde for terá um sabor igual."

Rúben Amorim tem consciência de que não tem sido "o melhor dos exemplos", mas diz que "cabe a todos melhorar" e tentar evitar os "excessos" que se têm verificado no futebol português. "Quando há uma expulsão penso sempre que é a última. Trabalho para isso mentalmente. Sabendo que isso, com a pressão de ser treinador, a falta de público é importante e existem alguns excessos. Às vezes dá jeito não falar de resultados, pontos de avanço e de tudo em si. Pode ser utilizado como distração... Faz parte do jogo e do futebol, não é de agora. Eu não tenho sido o melhor dos exemplos, mas vou tentar melhorar. Não me sinto no direito de dar lições de moral a ninguém. Faço o meu máximo, acreditem ou não. Vou ser melhor no futuro", afirmou o técnico do Sporting esta sexta-feira, na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Nacional (sábado, às 20.30, Sport TV).

Questionado sobre se o clima de crispação pode tirar algum mérito ao Sporting, Amorim disse não pensar nisso. "As emoções levam-nos a sítios que não queremos. O que queremos é ganhar jogos, conquistar coisas para o Sporting e ajudar o clube a crescer. Foco está aí, sabendo que temos tido alguns excessos que também têm a ver com a falta de público. Não estou a desculpar nada. Está errado, mas por alguma razão é", defendeu.

Com Benfica e FC Porto a jogarem esta sexta-feira a classificação do Sporting pode mudar. Para já tem mais seis pontos do que os dragões e nove que as águias. Questionado sobre se pensa celebrar o título de campeão nacional no Estádio da Luz, no jogo frente ao Benfica da 33.ª jornada, agendado para 15 de maio, voltou a adiar a candidatura. "Não falamos em título, queremos ganhar o jogo e no fim faremos as contas. O que me dá prazer é ganhar jogos e ver os meus jogadores felizes, a crescer. Seja onde for terá um sabor igual", afirmou Amorim.

Sendo líder do campeonato, podendo chegar aos 30 jogos sem derrotas no campeonato - será um recorde - sente que é o melhor treinador da Liga? "Não, de forma alguma. Tenho um grupo muito forte e muito unido, tenho tido a tal estrelinha que me ajudou em muitos resultados. Quero ser melhor no futuro, ganhar mais jogos. O que passou, passou. Sou bastante inexperiente ainda, tenho muito para melhorar. Não me sinto o melhor, sinto-me mais um que tenta ser melhor todos os dias, ansioso pelo futuro e que não liga muito ao passado", respondeu o jovem técnico leonino.

O jogo da 30.ª jornada da I Liga é com o "aflito" Nacional, o último da tabela classificativa, mas Rúben Amorim não espera facilitismos: "A classificação não quer dizer nada. Tudo pode acontecer. Houve uma troca de treinador [Luís Freire por Manuel Machado], mas já se notam diferenças, o FC Porto teve muita dificuldade com o Nacional, e é uma equipa que ganhou ao V. Guimarães. Queremos levar o jogo para onde o queremos ter, temos de ter muita atenção. O Nacional vai dar-nos iniciativa, temos de estar concentrados no jogo, ter atenção às bolas paradas e transições. Estudámos o Nacional e estamos preparados."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG