Urnas encerraram na Luz com recorde de mais de 40 mil votantes

As eleições no Benfica, a que concorrem o ex-futebolista Rui Costa e o empresário Francisco Benitez, registaram o maior número de votantes na história do clube: 40 115 sócios.

As urnas encerraram no Pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, um dos locais onde decorreu este sábadp, entre as 08:00 e as 22:00 as eleições para os órgãos sociais do Benfica, com um recorde de mais de 40 mil votantes.

Às 22:31, o clube atualizou na sua página oficial que o número chegou aos 40 115 sócios, numa votação que decorreu na Luz e em mais 24 casas do Benfica de norte a sul do país, bem como, através de voto eletrónico, nas ilhas e no estrangeiro.

Os números representam o ato eleitoral, ao qual concorrem o ex-futebolista Rui Costa e o empresário Francisco Benitez, mais participado da história do Benfica, superando os 38 102 nas eleições em outubro de 2020, e de acordo com o presidente da Assembleia Geral do clube, António Pires de Andrade, apenas superado pelo FC Barcelona

"Diria que é um recorde não só do Benfica, mas de todos os clubes do mundo, exceto o FC Barcelona, que já nos ultrapassou numa contagem, penso que atingiram 55 mil", referiu Pires de Andrade, em declarações à BTV.

Pires de Andrade disse ainda que todos saem satisfeitos e que a votação de hoje demonstra "que os sócios se interessam cada vez mais" pelo clube e que reitera os agradecimentos aos associados pela colaboração, num sufrágio sem problemas.

"Foi um dia histórico, de alegria. Encontrava as pessoas muito satisfeitas por virem votar. Muitos elogiaram, por ser um processo rápido, sem problemas, enquanto no ano passado tivemos filas em que demoravam a votar", considerou o presidente da MAG.

O dirigente comentou ainda a queixa anunciada pelo mandatário da Lista B, liderada pelo candidato Francisco Benitez, em relação ao facto de não terem tido acesso a todos os atos do processo eleitoral nas casas do Benfica.

"Não analisámos, penso que tem a ver com os delegados que estavam junto às urnas, que queriam tirar nota do número do sócio que votava e do número de votos a que tinha direito. Penso que tirarem o número de sócio é estarem a tirar um elemento que consideramos que é secreto. O sócio pode não querer que divulguem que o seu número de sócio foi obtido no processo eleitoral. O número de votos é indiferente, agora o número de sócio (...), não me parece que o regulamento permita essa situação", considerou.

Nos comentários finais, Pires de Andrade informou também que a AG irá analisar as questões dos sócios [Luís Filipe Vieira e Ricardo Araújo Pereira] que apelaram ao voto, o que é contrário aos regulamentos.

"Iremos analisar as questões dos sócios que apelaram ao voto em outro sócio, a menos de 200 metros não deve ser publicitado em quem se votou", sublinhou.

O presidente da MAG informou ainda que está a ser preparada a contagem no pavilhão e mostrou-se otimista quanto à celeridade do processo.

"Temos 10 urnas de 20 postos de votação, vamos ter 10 equipas a contar, 20 pessoas. Nos outros locais [nas casas] também se estarão a preparar para fazer a contagem", avançou.

Pires de Andrade lembrou que as últimas eleições, apesar de eletrónicas, encerraram muito depois destas, e que, por isso, espera "ter alguns resultados" das eleições que hoje decorreram entre a meia-noite e a uma da manhã.

"Nunca roubei o Benfica" disse Luís Filipe Vieira

Luís Filipe Vieira regressou este sábado à tarde ao Estádio da Luz, onde já não estava desde que foi detido no âmbito da Operação Cartão Vermelho. Foi depois de exercer o seu direito de voto que o ex-presidente do Benfica falou ao canal de televisão do clube, onde fez questão de aludir à sua inocência, nomeadamente no que diz respeito às acusações de que terá lesado os encarnados. "A única coisa que quero adiantar a todos os benfiquistas, frontalmente, é que não lesei nem nunca roubei o Benfica", disse.

"Para quem esteve no Benfica durante cerca de 20 anos, criei uma dimensão incalculável para o clube, que ninguém pensa nisso. Projetei o Benfica para o mundo e ainda não consegui acabar tudo aquilo que pensei. Todos sabem o que se passou comigo. A única coisa que quero adiantar a todos os benfiquistas, frontalmente, é que não lesei nem nunca roubei o Benfica", frisou.

Nesse sentido, deixou bem claro que irá "até às últimas consequências" para "recuperar" a sua imagem e a da sua família. "Foi muito grave o que se passou. Nunca pensei que algo assim acontecesse na minha vida. Sou perseguido, sinto-me uma peça de caça a quem alguém tenta dar um tiro. Mas não vou permitir. De certeza que decapitaram o Benfica, sei para onde é que ia projetar o Benfica e isso assustou muita gente", acrescentou.

Vieira garantiu ainda que não irá abandonar a vida do Benfica. "Estarei sempre presente e quando achar que devo ter uma intervenção mais profunda, vou tê-la", assumiu, reconhecendo que teve "desilusões com pessoas dentro do Benfica", depois da sua prisão e "pela forma como" foi tratado. "Hei de esclarecer todos os benfiquistas. Até final do ano, hei de falar para a família benfiquista toda. Fui condenado na praça pública, mas há um lugar certo para me defender. Até hoje, tirando um caso de um sócio aqui, hoje, nunca ninguém me enxovalhou na rua. Sinto-me bem, tenho a consciência perfeitamente tranquila. Nada fiz contra o Benfica", reforçou.

Vieira foi um dos quatro detidos no início de julho numa investigação que envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado, SAD do Benfica e Novo Banco e está indiciado por abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal e abuso de informação.

Vieira disse ainda que na sua gestão quem decidia era ele e que parece que a democracia a mais faz mal, assinalando que foi sem essa democracia - como alguns criticam -, que o clube cresceu da maneira que o fez nos últimos anos.

"Devem ter orgulho, o Benfica nunca teve um património como tem hoje, pago", acrescentou, ironizando que todos os que se sentarem numa cadeira, que utilizem a casa de banho ou que usem uma secretária, terão de se lembrar de si, lembrando também Mário Dias, o engenheiro responsável e mentor da construção do estádio.

A finalizar, o antigo presidente disse que ninguém sentiu que ele saiu e isso também lhe é devido, por ter profissionalizado o clube. "Nada mudou, ninguém contribuiu para nada. Foi a estrutura profissional que pôs o Benfica em marcha e a funcionar. Orgulho-me muito. É sinal de que fiz um bom trabalho", disse ainda.

Em relação às eleições, Luís Filipe Vieira disse que Rui Costa "merece a oportunidade de servir o Benfica", e que foi muito importante o apelo que fez para mobilizar os sócios. "De um lado temos um homem que é benfiquista, um homem que esteve muito tempo e que sabe perfeitamente para que lado o Benfica tem de caminhar, e do outro temos um benfiquista que não passa de um demagogo", criticou o ex-dirigente.

Fernando Seara diz que eleições mostram Benfica "vivo"

Fernando Seara exerceu este sábado, ao final da tarde, o seu direito de voto nas eleições para a presidência do Benfica e mostrou-se feliz pela afluência dos sócios 'encarnados' às urnas.

"O ato eleitoral de hoje significa que o Benfica é um clube vivo, com vivacidade e participação. E a paixão pelo Benfica, para aqueles que têm dúvidas, está aqui", disse o candidato a presidente da Mesa da Assembleia Geral pela Lista A, liderada por Rui Costa.

Seara anunciou que foi ultrapassado o número de sócios que votaram no Pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz face ao último ato eleitoral, em 2020, e disse que, quer o vencedor das eleições seja Rui Costa, quer seja Francisco Benítez, o Benfica deve seguir uma linha de continuidade.

Manuel Vilarinho aconselha ex-dirigentes a ficarem calados

O ex-presidente do Benfica Manuel Vilarinho aconselhou este sábado todos os antigos dirigentes e figuras ligadas ao clube a não falarem, pois "só agudizam a crise", em dia de eleições para os órgãos sociais dos 'encarnados'.

Em tempos de crise, aconselho todos os ex-dirigentes e gente ligada ao Benfica que não fale. Só agudizam a crise e quem sofre é o Benfica. Portanto, 'bico' calado e toca a andar", afirmou aos jornalistas, à saída do pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, em Lisboa.

Líder das 'águias' entre 2000 e 2003, Manuel Vilarinho, de 73 anos, exerceu o direito de voto pelas 16:30, pouco antes de Toni, antigo jogador e treinador do clube da Luz, que apelou à união do Benfica, pois "será sempre mais forte" que um clube fraturado.

"Hoje, quem ganha é o Benfica. Se se constituir uma oposição, que seja construtiva, vigilante e a saber que um Benfica fraturado será sempre mais fraco que um Benfica unido. O grande vencedor, depois das eleições, só pode ser um Benfica, e não dois Benficas", expressou o jogador 'encarnado' de 1968/69 a 1980/81 e treinador principal por três vezes -- de 1987/88 a 1988/89, de 1992/93 a 1993/94 e de 2000/01 a 2001/02.

Noronha Lopes espera que clube saia fortalecido do dia de hoje

O ex-candidato à presidência do Benfica João Noronha Lopes espera que o clube saia "ainda mais forte" das eleições deste sábado para os órgãos sociais, que opõem o ex-futebolista Rui Costa ao empresário Francisco Benitez.

"Estou satisfeito que as eleições estejam a decorrer com normalidade. Acho que é uma prova de vitalidade do clube e espero que o Sport Lisboa e Benfica saia destas eleições ainda mais forte. É isso que os donos do clube, os sócios, pretendem, e eu, enquanto sócio, tendo exatamente da mesma forma", afirmou aos jornalistas, depois de votar.

À saída do pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, em Lisboa, um dos 25 pontos de votação para as eleições, João Noronha Lopes apenas fez uma curta declaração, sem responder a mais questões, reforçando que "é um dia importante" para o conjunto 'encarnado'.

João Noronha Lopes foi candidato nas eleições de 2020, tendo conseguido 34,71% dos votos, contra 62,59% de Luís Filipe Vieira, sendo o maior 'rosto' da oposição ao ex-presidente, que também marcou presença no recinto para exercer o direito de voto.

Ricardo Araújo Pereira ataca Rui Costa: "Não quis ou não soube impor-se"

O humorista Ricardo Araújo Pereira, apoiante de Francisco Benítez na corrida à presidência do Benfica, disse esperar que este seja um dia importante para o clube, após ter votado no Estádio da Luz no ato eleitoral que irá eleger o 34.º presidente da história dos encarnados.

"Estou confiante num dia importante para o Benfica. A fila dava a volta ao estádio, estive a conviver com muitos consócios, e estou confiante que o dia seja assim, com grande afluência, o que é sempre um sinal de vitalidade importante. E, que no fim do dia de hoje, toda a gente tenha marcado a sua posição, e isso fique registado", disse o humorista.

Ricardo Araújo Pereira reiterou o seu apoio ao candidato da lista B, em oposição ao ex-futebolista Rui Costa, que era vice-presidente e esteve em exercício no cargo de presidente após a demissão de Luís Filipe Vieira.

"Há uma série de coisas que me parece que - é impossível negar - aconteceram por ação ou omissão de Rui Costa, e o meu voto é o resultado disso", disse o humorista, considerando que o ex-futebolista patrocinou "uma estratégia de ziguezagues" a que "não quis, ou não soube, impor-se".

Em relação ao candidato que apoia, e às acusações de falta de experiência, Ricardo Araújo Pereira assinalou ser "muito raro" existir essa experiência nos presidentes anteriores, e é mais fácil para o presidente incumbente.

A finalizar, o humorista disse ainda estar curioso em relação à auditoria forense anunciada por Rui Costa, lembrando que os sócios chegam a este dia -- menos de um ano após as últimas eleições - devido a "movimentações esquisitas".

"Claro que estou curioso, uma das razões pelas quais estamos aqui é porque ouve movimentações esquisitas, nomeadamente no capital da SAD, que alguém operou e que outras pessoas não tiveram capacidade para notar. É importante que a auditoria averigue", sublinhou.

Rui Costa: "Sou tão benfiquista na presidência como numa cadeira qualquer do estádio"

Após execer o seu direito de voto, Rui Costa enalteceu a grande participação dos sócios nas eleições para os órgãos sociais do Benfica, para as quais lidera a lista A, assumindo ainda a sua emoção pelo "carinho" recebido junto do Estádio da Luz.

"O ato eleitoral está a correr bem, com uma grande afluência. Um dia à Benfica, um dia em que os sócios tomam uma decisão importante para o clube de forma pacífica e exemplar. No fundo, estamos todos pelo Benfica, independentemente de haver duas listas", afirmou, à saída do pavilhão n.º 2 da Luz, reiterando: "A decisão é dos sócios. Os sócios do Benfica mais uma vez disseram presente e é isso que este clube tem de enorme."

Recebendo um pequeno banho de multidão à saída do pavilhão onde votou - parou longos minutos para tirar fotografias e foi aplaudido pelos sócios -, Rui Costa fez questão de dizer que nasceu no Benfica e expressou um "sentimento muito grande" de emoção, apelando também à união do clube, independentemente do desfecho eleitoral.

"Sou tão benfiquista na cadeira da presidência como de uma cadeira qualquer do estádio. Todos temos de apelar à união, porque Benfica há só um. Não há dois, nem três, nem quatro. Portanto, independentemente de quem ganhe, a preocupação será unir o clube, até porque nós sabemos a força que temos quando estamos todos unidos", vincou.

Francisco Benítez confiante de que já há "sinal de mudança"

O candidato Francisco Benitez mostrou-se confiante numa mudança para o futuro do clube da Luz, independentemente do resultado, e expressou a sua satisfação pela adesão dos sócios às eleições.

"Sinal de mudança vai ser sempre, porque ter eleições como estamos a ter agora já é um sinal de mudança", começou por dizer, desejando um novo recorde de afluência: "Estou muito contente com a adesão. O meu grande desejo era que nós conseguíssemos bater o recorde de votantes do ano passado. Seria excelente e viria demonstrar mais uma vez que os benfiquistas estão atentos e que quando é preciso tocar a reunir, eles chegam e ajudam".

Em declarações à saída do pavilhão n.º 2 da Luz, depois de depositar o seu voto nas urnas, o empresário e líder da Lista B garantiu não ficar preocupado com as demonstrações de carinho dos adeptos em relação ao adversário e manifestou-se disponível para apoiar Rui Costa, caso este vença, mediante o cumprimento das promessas de campanha.

"Vou apoiá-lo no sentido daquilo que ele prometeu nas eleições: trazer mais transparência, mais democracia e ser mais ambicioso. Aí, terá todo o meu apoio. Se não o fizer, terá a minha crítica", asseverou, ressalvando: "Estou muito contente como as coisas correram e agora cabe aos benfiquistas dizerem o rumo que querem para os próximos quatro anos".

Prometendo a continuidade do movimento Servir o Benfica, do qual faz parte, independentemente do resultado eleitoral, Francisco Benitez justificou novamente o porquê de não ter avançado com nomes para a constituição da SAD.

"Não o faria. Tenho essas pessoas, ajudaram-me a construir o programa que apresentei aos benfiquistas, sempre com a condição de que eu não revelaria os nomes deles. Quando dou a minha palavra, cumpro as minhas promessas até ao fim. Amanhã [domingo], se Deus quiser, cá estarei. A primeira coisa que vou fazer é estar aqui para revelar os nomes", concluiu.

Rui Gomes da Silva prevê novas eleições dentro de "ano e meio"

O ex-candidato à presidência do Benfica Rui Gomes da Silva disse que Rui Costa vai vencer as eleições, mas mostrou-se cético sobre o futuro e antecipou nova ida às urnas em "ano e meio".

"Rui Costa merece esta oportunidade. O próximo ciclo é um ciclo muito exigente, onde vamos discutir direitos televisivos, o futuro do Benfica como clube da Europa ou grande clube de Portugal, o ano em que vamos ter de discutir se o Benfica é ou não vendido... Se querem a minha previsão, daqui a ano e meio estaremos cá outra vez com o Benfica numa grande crise. Espero não ter razão como tive há um ano", afirmou.

Em declarações após exercer o direito de voto no Pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, vincou que este sufrágio "encerra um ciclo" de quase duas décadas com Luís Filipe Vieira, porém, não deixou de lamentar a permanência de diversos nomes na lista de Rui Costa.

"Disse há um ano que não contaria com ninguém da lista de Luís Filipe Vieira. Espero que hoje Rui Costa vá ser eleito e com uma grande maioria, mas temo que não saiba as dificuldades que vai encontrar. Rui Costa está convencido desde 1990 que vai ser presidente do Benfica e não vou ser eu a tirar-lhe esse gosto", notou, acrescentando: "Se fosse eu, teria escolhido outro caminho. Ele é que vai ser presidente do Benfica, não eu."

Questionado sobre a razão para não se apresentar a votos e tentar a eleição, Rui Gomes da Silva explicou que soube "ler em democracia o que as pessoas quiseram", apesar de ter deixado críticas à lista apresentada há um ano por João Noronha Lopes e que defendeu estar agora associada a Francisco Benitez.

"Quem teve 35% nas últimas eleições teria a obrigação de estar aqui a disputar as eleições do Benfica, e a prova evidente é que correspondia a uma lista de interesses em que o único objetivo era, se Luís Filipe Vieira caísse -- como era previsível que caía há um ano e eu disse há um ano que estaríamos aqui em eleições -, que as ideias que eu representava e as pessoas que me acompanhavam não tivessem nenhuma hipótese de ganhar", notou.

De acordo com Rui Gomes da Silva, "a qualidade das pessoas que estavam no ano passado à frente desta lista é a mesma qualidade das pessoas que hoje estão à frente e que todos viram no último debate eleitoral".

O ex-candidato não avançou desta vez, mas não descartou uma eventual nova candidatura no futuro: "Daqui a ano e meio espero estar completamente errado. Ter razão outra vez? Tive razão em 2020, se tenho razão em 2021, aí pensarei", finalizou.

Shéu confia que "os benfiquistas vão responder" nas urnas

O antigo futebolista do Benfica Shéu Han foi um dos sócios encarnados que exerceu o direito de voto pela manhã. "O Benfica é um grande clube, um clube enorme, e esta forma de participação demonstra esse facto. Foi muito rápido. Até vim cá fora para verificar como estava o andamento e descansar as pessoas para lhes dizer que isto não vai demorar muito tempo", afirmou o ex-dirigente.

Para Shéu, este é um ato eleitoral diferente daquele que ocorreu há cerca de um ano, opondo então o ex-presidente Luís Filipe Vieira a João Noronha Lopes, sublinhando que a atual disputa entre Rui Costa e Francisco Benitez tem um outro significado.

"Cada momento tem o significado que tem. Houve necessidade de se fazer esta eleição e naturalmente que os benfiquistas vão responder, e têm respondido da forma que é normal", frisou a antiga glória benfiquista.

Mais de 35 mil sócios votaram até às 18.50 horas

Até às 18.50 horas, 35 mil sócios votaram nas eleições deste sábado para os órgãos sociais do Benfica, que opõe o ex-futebolista Rui Costa ao empresário Francisco Benítez, um ano após o último ato eleitoral.

Na comparação com as eleições de outubro de 2020 - que teve uma votação recorde de 38.102 associados, o Benfica avançou desde logo que três horas após a abertura das urnas, às 8.00, já tinham sido ultrapassados os números verificados há um ano no mesmo período, com o registo de mais de 10 mil antes do meio-dia.

Como expectável, o pavilhão nº 2 do estádio da Luz regista a maior afluência de sócios, com mais de seis mil votantes, num ato eleitoral de voto que também envolve 24 casas do clube, ou o voto eletrónico para os Açores, Madeira e para os sócios no estrangeiro.

O ex-futebolista e candidato a presidente para lista A, Rui Costa, foi um dos que já marcou presença no pavilhão, ao exercer o seu direito de voto às 12.42.

Ao início da tarde é esperado que também o candidato da lista B, o empresário Francisco Benitez, marque presença no Estádio da Luz, para depositar o voto em urna.

Durante a manhã foram muitas as figuras que passaram pelo recinto e pelo pavilhão nº2, nomeadamente o treinador da equipa de futebol, Jorge Jesus, os futebolistas Rafa ou André Almeida, os ex-futebolistas Shéu, Luisão, Dimas ou Simão Sabrosa, ou o antigo candidato e vice-presidente do clube Rui Gomes da Silva.

As eleições do Benfica decorrem das 8.00 às 22.00, no pavilhão n.º 2 do Estádio da Luz, em Lisboa, e em 24 casas do clube de norte a sul do país, sendo que os sócios residentes nos Açores, na Madeira ou no estrangeiro irão votar via online.

O recorde de participação eleitoral no clube foi alcançado em 2020, com 38 102 votantes.

Notícia atualizada às 15.48 horas

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG