Rafa Silva põe fim à carreira na seleção nacional

"Julgo tratar-se de uma decisão honesta e acertada, neste momento da minha carreira", afirmou o jogador que justificou a decisão com razões do "foro pessoal".

Rafa Silva anunciou ontem a sua "indisponibilidade" para continuar a representar a seleção nacional. Em comunicado, o jogador do Benfica, de 29 anos, revelou ter informado o selecionador nacional Fernando Santos e a Federação Portuguesa de Futebol da sua decisão, justificada com "razões do foro pessoal".

O futebolista, campeão europeu e vencedor da Liga das Nações, solicitou no comunicado que os seus motivos sejam "respeitados por todos", considerando que se trata de "uma decisão honesta e acertada, neste momento da carreira".

"Representei as seleções nacionais em 40 ocasiões, ajudei a conquistar o Euro 2016 e a Liga das Nações e estarei sempre na primeira fila a apoiar a equipa de todos nós. Estou certo que a seleção nacional continuará a dar alegrias aos portugueses, desde logo na Liga das Nações e no Mundial 2022", acrescentou Rafa Silva no comunicado.

A decisão do jogador acabou por surpreender, numa altura em que estava de volta aos convocados de Fernando Santos, mais de 10 meses depois da última chamada. Numa nota publicada no seu site oficial, a Federação Portuguesa de Futebol disse respeitar a decisão do extremo do Benfica, lembrando que "viveu as duas maiores conquistas da seleção nacional", pelo que nesse sentido deixou uma certeza: "O Rafa será para sempre um dos nossos e é credor do nosso reconhecimento e agradecimento."

Na seleção principal, o jogador contabilizou 25 jogos, tendo estado presente no Mundial 2014, no Euro 2016, Liga das Nações, 2018 e Euro 2020. Estreou-se a 5 de março de 2014, num jogo particular com os Camarões, tendo vestido pela última vez a camisola das quinas no dia 4 de setembro de 2021, num particular com o Qatar.

Há cerca de um ano, Rafa Silva foi dispensado dos trabalhos da seleção devido a lesão, precisamente na véspera dos confrontos com a Rep. Irlanda e a Sérvia, decisivos para o apuramento para o Mundial 2022. Portugal acabou por falhar a qualificação direta, pois empatou em Dublin e perdeu na Luz com os sérvios, tendo no rescaldo desta desilusão surgido notícias que davam conta de algum "desconforto" da estrutura da seleção para com Rafa. Na altura, o jornal Record citava fontes da FPF que diziam que o atleta "não tinha estado totalmente comprometido nos trabalhos da equipa das quinas", algo que não ajudaria "a sua personalidade complicada".

É certo que, na hora de anunciar o adeus à seleção, Rafa Silva nunca abordou esta situação, mas será algo que certamente poderá ter estado na origem da decisão, até porque a estrutura da FPF nunca desmentiu a notícia e não saiu em defesa do jogador. A única pessoa que garantiu estar "tudo tranquilo" com Rafa foi o selecionador nacional Fernando Santos que, alguns dias depois do desaire com os sérvios deu uma entrevista à TVI na qual garantiu ser "totalmente falso" a existência de problemas com o jogador do Benfica. "Vai voltar a ser chamado, sem dúvida. Não estava a 100% e por isso ficou de fora", disse o técnico nacional, que na realidade voltou agora a chamar o extremo para os jogos da Liga das Nações com a República Checa, no sábado, e com Espanha (27 de setembro), mas Rafa anunciou a sua indisponibilidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG