Estreia e golo. Otávio torna-se o oitavo naturalizado a representar Portugal

Otávio tornou-se este sábado o oitavo jogador naturalizado a vestir a camisola da seleção portuguesa de futebol, num encontro particular diante do Qatar, incluído na fase da qualificação para o Mundial2022. E já fez o primeiro golo

Na cidade húngara de Debrecen, o selecionador luso, Fernando Santos, aposta de início no médio do FC Porto, num jogo que conta com jogadores habitualmente menos utilizados, após a vitória lusa diante da República da Irlanda, na quarta-feira, no Estádio Algarve, por 2-1.

E Otávio correspondeu já com o primeiro golo ao serviço da seleção portuguesa: aos 25 minutos, o jogador fez o 2-0, correspondendo a um cruzamento de Gonçalo Guedes, praticamente um minuto depois de André Silva ter inaugurado o marcador (pode seguir o jogo ao minuto, aqui).

O jogador do FC Porto, de 26 anos, chegou a solo luso na época 2014/15, proveniente do Internacional, do Brasil, mas não conseguiu afirmar-se de imediato na equipa principal, tendo sido emprestado ao Vitória de Guimarães por dois anos consecutivos.

Em 2016/17, fixou-se no plantel principal 'azul e branco', assumindo-se como uns dos jogadores imprescindíveis, nomeadamente, nos últimos três anos, sob orientação do treinador Sérgio Conceição.

O médio dos 'dragões', natural de Paraíba, no Brasil, sucede, assim, a Dyego Sousa, que, em 22 de março de 2019, foi opção no desafio frente à Ucrânia (0-0), no apuramento para o Euro2020.

Dyego Sousa, que tinha chegado a solo luso com apenas 18 anos, em 2007, para representar os juniores do Nacional, destacou-se no Sporting de Braga, concretamente, no segundo ano ao serviço dos minhotos, em 2018/19, marcando 20 golos em 41 jogos.

Em Portugal, antes de ingressar nos minhotos, o jogador nascido em São Luís do Maranhão, no nordeste do Brasil, defendeu ainda as cores de Leixões, Tondela, Portimonense e Marítimo.

Passou mais de uma década para a seleção portuguesa voltar a estrear um jogador naturalizado, depois de Liedson, Pepe, Deco, Celso e Lúcio Soares, todos nascidos no Brasil, e de David Júlio, oriundo da África do Sul.

Em setembro de 2009, Liedson, que passou oito temporadas no Sporting, foi chamado por Carlos Queiroz para o duelo com a Dinamarca, de qualificação para o Mundial2010, e logo na estreia salvou Portugal da derrota em Copenhaga, ao marcar o golo do empate (1-1).

O 'levezinho' terminou a carreira com 15 jogos e quatro golos por Portugal e representou a seleção das 'quinas' no campeonato do mundo de 2010, na África do Sul.

Ainda em atividade está Pepe, que soma 120 internacionalizações e já é o defesa central com mais jogos de sempre pela formação lusa, com mais 10 do que Fernando Couto.

Tal como Dyego Sousa, Pepe chegou a solo nacional ainda como adolescente e também para a Madeira, onde foi representar o Marítimo com apenas 18 anos.

Em 2007, o central do FC Porto recebeu a chamada de Luiz Felipe Scolari e, em novembro, estreou-se, logo a titular, perante a Finlândia (0-0), no encontro que confirmou a qualificação para a fase final do Euro2008.

O defesa de 38 anos leva 120 internacionalizações e sete golos e integra a 'restrita' lista de seis futebolistas que chegaram à centena de jogos por Portugal.

Anos antes, em 2003, igualmente pela 'mão' de Scolari, Deco também optou pela seleção portuguesa, seis anos depois de ter chegado ao país, com 20 anos.

Em destaque no FC Porto, o médio foi chamado para um particular com o Brasil, numa decisão que na altura não foi unânime junto da opinião pública, e acabou por defrontar a 'canarinha' em março, no Estádio das Antas. Portugal venceu por 2-1, com Deco a marcar o golo do triunfo já perto do fim, de livre direto.

Deco, que acabou a carreira com 75 jogos e cinco golos por Portugal, acabou por ser determinante na campanha da seleção nacional no Euro2004, em que chegou à final, e no Mundial2006, tendo alcançado as meias-finais. O médio esteve ainda no Euro2008 e no Mundial2010.

Na década de 1970, o 'trinco' brasileiro Celso, do Boavista, representou três vezes a formação da 'quinas' e, nos anos 60, foi a vez de o central brasileiro Lúcio Soares e de o médio sul-africano David Júlio, ambos do Sporting, contarem cinco e quatro internacionalizações, respetivamente.

O 53.º estreante com Fernando Santos

O médio Otávio, do FC Porto, aumenta para 53 o lote dos estreantes na seleção portuguesa de futebol na 'era' Fernando Santos.

Ao alinhar de início no Estádio Nagyerdei, palco do encontro particular com o Qatar, o jogador dos 'dragões', nascido no Brasil, sucede ao lateral Diogo Dalot, que foi chamado no Euro2020, para render João Cancelo -- infetado com o novo coronavírus -, tendo feito o seu primeiro jogo de quinas ao 'peito' na terceira jornada do Grupo F do torneio, com a campeã mundial França (1-1), em Budapeste.

A seleção anfitriã do próximo campeonato do mundo foi incluída no grupo de qualificação de Portugal, com o intuito de preparar a participação na fase final da competição.

Antes, Fernando Santos tinha lançado o guarda-redes Rui Silva, do Granada, face a Israel (4-0), em Alvalade, num particular de preparação para o Euro2020, poucos dias antes de 'promover' o 'leão' Pedro Gonçalves, também num particular, mas com a Espanha, em Madrid, onde Portugal empatou a zero.

Em 2021, Fernando Santos já tinha estreado mais dois jogadores campeões nacionais pelo Sporting, o lateral esquerdo Nuno Mendes e o médio Palhinha, que cumpriram o primeiro jogo face ao Azerbaijão, em Turim.

Em 24 de março, no primeiro encontro do Grupo A europeu de apuramento para o Mundial de 2022, que Portugal venceu por 1-0, Nuno Mendes jogou os 90 minutos, enquanto Palhinha começou no banco e entrou aos 88, para o lugar de Rúben Neves.

Para encontrar mais estreantes, é preciso recuar a 2020, mais precisamente a 11 de novembro, dia em que Domingos Duarte (Granada), Pedro Neto (Wolverhampton) e Paulinho (então no Sporting de Braga e agora no Sporting), jogaram no 7-0 a Andorra.

No particular disputado no Estádio a Luz, em Lisboa, Domingos Duarte jogou os 90 minutos, Pedro Neto saiu ao intervalo, depois de inaugurar o marcador, aos oito, e Paulinho fez ainda melhor, ao 'bisar', aos 29 e 61, antes de dar lugar a João Félix, aos 63.

Em 2020, também se tinham estreado Trincão (4-1 à Croácia, em 05 de setembro), Rúben Semedo (0-0 com a Espanha, em 07 de outubro) e Daniel Podence (3-0 à Suécia, em 14 de outubro).

Fernando Santos começou a 'coleção' logo no primeiro encontro, em 11 de outubro de 2014, num particular com a França, em que fez alinhar Cédric e João Mário. No mesmo ano, também promoveu Raphaël Guerreiro, Adrien Silva, José Fonte e Tiago Gomes.

A lista teve, depois, um aumento substancial com um particular com Cabo Verde, em 2015, com o técnico luso a fazer alinhar pela primeira vez Anthony Lopes, André Pinto, Paulo Oliveira, Bernardo Silva, André André, Ukra e Danilo.

Seguiram-se, ainda no mesmo ano, Daniel Carriço, Nélson Semedo, Gonçalo Guedes, Lucas João, Ricardo Pereira e Rúben Neves, e, em 2016, ano do título europeu, Renato Sanches, André Silva, João Cancelo e Gelson Martins.

No ano seguinte, tornaram-se internacionais 'AA' Marafona, Bruma, Bruno Fernandes, Edgar Ié, Kévin Rodrigues, Gonçalo Paciência, Ricardo Ferreira e Rony Lopes.

Em 2018, foi a vez de Mário Rui, Rúben Dias, Gedson, Sérgio Oliveira, Hélder Costa - o segundo a marcar no primeiro jogo na 'era' Fernando Santos, depois de João Cancelo -, Pedro Mendes e Cláudio Ramos e, em 2019, Dyego Sousa, João Félix e Diogo Jota.

- Lista dos 53 estreantes na 'era' Fernando Santos:

2021

04/09 Qatar (N) ? Otávio

09/06 Israel (C) 4-0 Rui Silva

04/06 Espanha (F), 0-0 Pedro Gonçalves

24/03 Azerbaijão (C), 1-0 Nuno Mendes, Palhinha

2020

11/11 Andorra (C), 7-0 Domingos Duarte, Pedro Neto, Paulinho

14/10 Suécia (C), 3-0 Daniel Podence

07/10 Espanha (C), 0-0 Rúben Semedo

05/09 Croácia (C), 4-1 Trincão

2019

14/11 Lituânia (C), 6-0 Diogo Jota

05/06 Suíça (N), 3-0 João Félix

22/03 Ucrânia (C), 0-0 Dyego Sousa

2018

14/10 Escócia (F), 3-1 Hélder Costa, Pedro Mendes, Cláudio Ramos

06/09 Croácia (C), 1-1 Sérgio Oliveira, Gedson Fernandes

28/05 Tunísia (N), 2-2 Rúben Dias

26/03 Holanda (N), 0-3 Mário Rui

2017

14/11 Estados Unidos (C), 1-1 Gonçalo Paciência, Ricardo Ferreira, Ronny Lopes

10/11 Arábia Saudita (C), 3-0 Bruma, Bruno Fernandes, Edgar Ié, Kévin Rodrigues

28/03 Suécia (C), 2-3 Marafona

2016

07/10 Andorra (C), 6-0 Gelson Martins

01/09 Gibraltar (C), 5-0 André Silva, João Cancelo

25/03 Bulgária (C), 1-0 Renato Sanches

2015

14/11 Rússia (F), 0-1 Gonçalo Guedes, Ruben Neves, Lucas João, Ricardo Pereira

11/10 Sérvia (F), 2-1 Nélson Semedo

16/05 Itália (N), 1-0 Daniel Carriço

31/03 Cabo Verde (C), 0-2 Anthony Lopes, André Pinto, Paulo Oliveira, Bernardo Silva, André André, Ukra, Danilo

2014

18/11 Argentina (N), 1-0 José Fonte, Tiago Gomes, Adrien Silva

14/11 Arménia (C), 1-0 Raphael Guerreiro

11/10 França (F), 1-2 Cédric, João Mário

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG