Nadal bate recorde ao vencer 21.º major após dar a volta a Medvedev

O tenista espanhol esteve a perder por 2-0 com o russo, mas deu a volta e venceu o Open da Austrália.

O tenista espanhol Rafael Nadal fez história este domingo em Melbourne Park, ao bater o russo Daniil Medvedev e conquistar, pela segunda vez na carreira, o Open da Austrália, o seu 21.º título do Grand Slam da carreira.

Numa longa final disputada em cinco horas e 24 minutos e invadida por um espetador, em protesto pela detenção dos refugiados na Austrália, o esquerdino de Manacor conseguiu dar a volta a um encontro que perdia por dois 'sets' a zero para superar em cinco partidas o moscovita, número dois do 'ranking' ATP, com os parciais de 2-6, 6-7 (5-7), 6-4, 6-4 e 7-5, numa grande demonstração de garra e superação.

No 'set' inaugural, após uma fase de auscultação da estratégia adversária, o antigo líder da hierarquia mundial, mesmo recorrendo a uma variação de jogo muito grande e à pancada de 'slice', sofreu 'breaks' no quinto e sétimo jogos e viu Medvedev, de 25 anos, servir para se colocar facilmente em vantagem no encontro.

Na segunda partida, o espanhol entrou a arriscar mais e conseguiu quebrar o adversário no quarto jogo (3-1). Apesar de ter confirmado a vantagem no seu saque (4-1), o campeão do Open dos Estados Unidos contrapôs com jogadas mais agressivas e fez o contra 'break' (4-3).

Rafael Nadal voltou a colocar-se em vantagem (5-3), novamente com um jogo muito variado, mas o 'set' só foi resolvido no 'tie-break', com o russo a levar a melhor apenas nos últimos pontos do desempate.

Em desvantagem no marcador e obrigado a vencer para se manter em prova, o atual número cinco mundial reagiu da melhor forma e, com grande resistência mental para não ceder à pressão e contrariar o rumo dos acontecimentos, alcançou o 'break' no nono jogo da terceira partida (5-4) para, ao contrário do sucedido no 'set' anterior, servir e adiar a decisão do embate.

Mais solto e assertivo, o maiorquino, de 35 anos, conseguiu passar novamente para a frente no terceiro jogo da quarta partida (2-1), mas Daniil Medvedev, depois de assistido à perna esquerda pelo fisioterapeuta, devolveu o 'break'. Nadal não se retraiu, fez o 3-2 e, mesmo tendo desperdiçado um 'set point' no serviço do adversário, quando o marcador registava 5-4, garantiu a sobrevivência na Rod Laver Arena.

Na hora de todas as decisões, o desequilíbrio entre os dois chegou ao quinto jogo, quando Rafael Nadal conseguiu vergar Medvedev (3-2) e, mesmo tendo o adversário restabelecido a igualdade a 5-5, fez novo 'break' e não abrandou mais o ritmo e a intensidade rumo à conquista da sua segunda vitória em Melbourne, após 2009, e ao recorde de títulos do Grand Slam, superando os 20 troféus do sérvio Novak Djokovic e do suíço Roger Federer.

Graças ao triunfo de hoje, alcançado depois de uma cirurgia ao pé direito no último verão e de ter contraído coronavírus em dezembro, Rafael Nadal torna-se no quarto jogador da história e ganhar os quatro 'majors' pelo menos duas vezes, depois de Djokovic e dos australianos Roy Emerson e Rod Laver.

O novo campeão do Open da Austrália é ainda o terceiro jogador na Era Open a vencer o 'Happy Slam' depois dos 35 anos, igualando os feitos de Federer e Ken Rosewall, em duas ocasiões.

"Foi um dos encontros mais emocionantes da minha carreira"

Rafael Nadaldisse ter vivido "um dos encontros mais emocionantes da carreira" em Melbourne Park, onde fez história e conquistou o 21.º título do Grand Slam.

"Foi um dos encontros mais emocionantes da minha carreira", avançou o esquerdino espanhol, de 35 anos, na cerimónia de entrega de prémios. "Partilhar o 'court' com o Daniil foi uma honra. É maravilhoso. Para ser sincero, há um mês e meio, não tinha a certeza se voltaria a jogar ténis no circuito. Mas hoje estou aqui, em frente a todos vocês e com o troféu à minha frente. Vocês são fantásticos, obrigada", acrescentou, dirigindo-se ao público que sempre o apoiou ao longo do derradeiro duelo.

"Não imaginam o quanto lutei para estar aqui. Há umas semanas acreditei que este seria o meu último Open da Austrália, mas agora sinto-me com mais energia para continuar mais uns tempos", confessou, depois de ultrapassar os 20 triunfos no Grand Slam do suíço Roger Federer e do sérvio Novak Djokovic, número um mundial.

Já Medvedev, de 25 anos, não poupou elogios ao adversário, após ter perdido a sua segunda final consecutiva nos Antípodas e depois de conquistar o primeiro 'major' da carreira no Open dos Estados Unidos.

"É difícil de falar depois de cinco horas e meia a jogar e perder", começou por afirmar o moscovita. "Ele foi impressionante, o nível foi muito alto. Elevaste o nível após os dois primeiros 'sets' e alcançaste o 21.º torneio do Grand Slam. Pensei que ias ficar cansado, mas pronto. És um campeão incrível e acho que vocês [Nadal, Federer e Djokovic] ainda têm uma grande rivalidade e isto ainda não acabou".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG