Kane Tanaka tem 118 anos. A mulher mais velha do mundo vai carregar a chama olímpica

Um dos seus cinco netos e uma das oito bisnetas vai ajudar a empurrar a cadeira de rodas ao longo do percurso de cem metros, mas Kane, que já sobreviveu a dois cancros, está determinada a caminhar os últimos passos.

A japonesa Kane Tanaka, que nasceu a 2 de janeiro de 1903 e é reconhecida pelo Livro de Recordes do Guinness como a pessoa mais velha do mundo, vai bater mais um recorde em maio. Aos 118 anos, será a mais velha a alguma vez transportar a chama olímpica, segundo a CNN.

Kane irá transportar a chama quando esta passar por Shime, na sua região natal de Fukuoka. Um dos seus cinco netos e uma das oito bisnetas vai ajudar a empurrar a cadeira de rodas ao longo do percurso de cem metros, mas Kane, que já sobreviveu a dois cancros, está determinada a caminhar os últimos passos.

"É ótimo que tenha chegado a esta idade e que ainda consiga ter um estilo de vida ativo. Queremos que outras pessoas vejam isso e se sintam inspiradas e não achem que a idade é uma barreira", disse à CNN o neto sexagenário Eiji Tanaka. A família ofereceu a Kane um novo par de ténis no seu último aniversário.

O recorde que Kane quer bater está atualmente nas mãos da brasileira Aida Gemanque, que aos 106 anos transportou a chama olímpica nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016, sendo que o antigo jogador de ténis de mesa russo Alexander Kaptarenko tinha 101 anos quando transportou a chama nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014, poucos meses antes de morrer.

No Japão há mais de 80 mil pessoas com mais de cem anos.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio deviam ter acontecido em 2020, mas a pandemia do novo coronavírus obrigou a adiar a competição para este ano. A viagem da chama olímpica pelos quatro cantos do Japão começa a 25 de março em Fukushima, para assinalar o décimo aniversário do sismo e tsunami que atingiram a região. Apesar de Kane estar desejosa de carrega a chama, a sua participação - patrocinada por uma companhia de seguros - vai depender do seu estado de saúde e das condições meteorológicas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG