Itália elimina Áustria e pode encontrar Portugal nos quartos de final

Triunfo só chegou no prolongamento. Austríacos viram VAR anular-lhes um golo.

A Itália apurou-se este sábado para os quartos de final do Euro2020 de futebol, após derrotar a Áustria por 2-0, no prolongamento de um jogo que dominou por mais tempo, apesar das fases de supremacia austríaca.

A seleção transalpina fixou uma vantagem de dois golos nos primeiros 15 minutos do tempo adicional, graças aos remates cruzados certeiros de dois jogadores que entraram na segunda parte - Federico Chiesa, aos 95, e Matteo Pessina, aos 105 -, antes do também suplente Sasa Kalajdzic reduzir, aos 114.

Com esta vitória em Londres, ao fim de 120 minutos, a equipa a cargo do selecionador Roberto Mancini alargou a série invencível para 31 jogos e vai disputar os quartos de final na cidade alemã de Munique, em 02 de julho, frente ao vencedor do duelo entre Bélgica e Portugal, agendado para domingo, em Sevilha, às 20:00 de Lisboa.

A Itália apresentou sete novidades face ao último jogo do grupo A, com o País de Gales (1-0), que contemplaram regressos de titulares nas duas primeiras jornadas da fase de grupos, entre os quais o lateral esquerdo Leo Spinazzola, o jogador que mais se evidenciou na primeira parte do duelo com os austríacos.

Com recurso ao drible e à velocidade, o jogador da Roma superiorizou-se várias vezes ao lateral direito do oponente, Stefan Lainer, e esteve na origem dos dois primeiros lances de perigo do desafio: um remate ao lado, aos 11 minutos, e uma assistência para o 'tiro' rasteiro de Barella, travado pelo pé do guardião Bachmann, aos 17.

Presente no relvado de Wembley com o mesmo 'onze' que derrotou a Ucrânia na última jornada do Ggrupo C (1-0), a Áustria respondeu no minuto seguinte, com um remate por cima de Arnautovic, mas sem beliscar o domínio da seleção 'azzurra', que ameaçou de novo o golo aos 32, num remate de Ciro Immobile ao poste, ainda de fora da área, e num outro de Spinazzola, defendida por Bachmann, aos 43.

A Áustria apareceu com uma postura renovada na segunda metade e, além de se limitar a conter a manobra ofensiva italiana, começou a 'desenhar' lances de ataque com regularidade, tendo deixado o primeiro 'aviso' no livre cobrado por Alaba, por cima, ao minuto 52.

Depois dos 'calafrios' para a baliza de Donnarumma, com Arnautovic a cabecear mesmo para o fundo das redes, aos 65 minutos, mas em fora de jogo, o selecionador Roberto Mancini alterou o meio-campo transalpino, com as entradas de Locatelli e de Pessina para os lugares de Verratti e de Barella, mas sem reaver o controlo de imediato.

Os italianos só voltaram a dominar no prolongamento, quando Spinazzola reapareceu no jogo e assistiu Chiesa para o golo inaugural, num lance em que o avançado da Juventus, de 23 anos, retirou Hinteregger do caminho e rematou forte, sem tempo para o guardião austríaco reagir.

Mais confortáveis a partir daí, os transalpinos tiveram tempo para dilatar o resultado antes do intervalo do prolongamento, num golo parecido: Pessina rematou cruzado fora do alcance de Bachmann, após trabalho de Belotti a segurar a bola.

Sem nada a perder, a Áustria aventurou-se no ataque durante a segunda metade do prolongamento, criou perigo junto da baliza de Donnarumma e marcou num cabeceamento ao primeiro poste de Kalajdzic, após canto, mas foi incapaz de levar o jogo ao desempate por grandes penalidades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG