Vitória de Portugal na Rússia com retorno económico de 700 milhões de euros

Estudo do Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) sobre impacto do título mundial foi revelado esta terça-feira.

Uma vitória de Portugal no Mundial da Rússia resultaria num retorno económico de quase 700 milhões de euros, segundo um estudo publicado pelo Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM). Tudo junto resultará num impacto na economia portuguesa de 678 milhões de euros no caso de vitória no torneio, o que equivale a um gasto de 65 euros por cada português ao longo de 50 dias.

Ficar pela fase de grupos, o que seria o pior resultado possível para a equipa campeã da Europa, resultaria num impacto de 333 milhões de euros, ou 32 euros por cada português ao longo de 34 dias. A que acresce mais dez milhões, pelo facto de que os portugueses continuarão a acompanhar a competição mesmo que a seleção nacional seja eliminada.

A simples participação de Portugal no Mundial2018 também tem um forte impacto na economia portuguesa - cerca de 127 milhões de euros durante o estágio e 198 milhões pela participação nos três jogos da fase de grupos.

As contas são simples de fazer, segundo o estudo liderado por Daniel Sá, e vão desde o consumo em casa, que ascende a 35%, mas também na restauração (15%), publicidade (22%), apostas online (06%) e o prémio monetário do desempenho (06%, segundo o organismo.

Segundo o IPAM, as receitas vão contribuir para vários setores e entidades, "como a Federação Portuguesa de Futebol, agências de publicidade, agências de meios, empresas de catering, transportes, hotelaria, cafés, restaurantes, segurança, limpeza, polícia, empresas de apostas, meios de comunicação social, gasolineiras, marcas desportivas, cervejeiras, hipermercados, entregas de comida ao domicílio, tabaqueiras, agências de viagens e hotelaria", entre outros.

Segundo o IPAM, que estuda o impacto económico da participação da seleção em grandes provas desde 2012, estudo teve por base o "Modelo de Previsão Económica", desenvolvido pelo UKSport, que permite prever o impacto económico de eventos desportivos antes da sua realização.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.