Djokovic e Tsitsipas lutam pelo título na Austrália, que vale subida a n.º 1 do mundo

Os dois tenistas jogam pela segunda vez uma final do Grand Slam. O sérvio tenta igualar recorde de títulos de Nadal, o grego quer o primeiro major da carreira.

Novak Djokovic e Stefanos Tsitsipas vão defrontar-se este domingo (8.30 horas, Eurosport) na final masculina do Open da Austrália, marcada para a Rod Laver Arena, em Melbourne. Esta é a segunda vez que os dois tenistas vão enfrentar-se na final de um Grand Slam, sendo que na primeira, em 2021, em Roland Garros o sérvio venceu em cinco sets.

Djokovic, de 25 anos, vai agora tentar repetir o feito, ainda para mais sabendo que lhe permitirá igualar o recorde de 22 títulos em majors, na posse do espanhol Rafael Nadal. O sérvio está ainda empenhado em dar a volta à baixa popularidade que goza atualmente em terras australianas, afinal depois de no ano passado ter sido impedido de participar no torneio por não estar vacinado contra a covid-19 - foi mesmo deportado - esta semana foi a vez do seu pai Srdjan ter surgido em fotografias com apoiantes do líder russo Vladimir Putin, algo que lhe valeu algumas vaias durante a meia-final com o norte-americano Tommy Paul.

Há ainda um outro atrativo nesta primeira final de Grand Slam da temporada, pois a vitória garantirá de imediato um salto para o primeiro lugar do ranking ATP, ocupado há 20 semanas consecutivas pelo espanhol Carlos Alcaraz. Na prática, Djokovic (atual número 5) pode voltar a uma posição que ocupou durante 373 semanas na sua carreira, enquanto o grego Tsitsipas, de 24 anos, tem o sonho de atingir pela primeira vez o posto de melhor do mundo, tornando-se assim o 29.º tenista a ocupar o trono desde o início do ranking ATP, em 1973.

Para chegar à sua 10.ª final no Open da Austrália, do qual é recordista com nove títulos, Djokovic venceu Tommy Paul em três sets, num encontro de durou 2.20 horas, durante o qual o sérvio teve um momento de desconcentração após discutir com o árbitro quando vencia por 5-1 no primeiro set. O norte-americano igualou 5-5, mas a vitória acabou por cair para o lado de Djokovic por 7-5, tendo arrumado a questão nos sets seguintes, por 6-1 e 6-2.

Mais complicada foi a tarefa de Tsitsipas (4.º do ranking), que precisou de quatro sets e quase 3.30 horas para bater o russo Karen Khachanov (20.º ATP), com os parciais de 7-6, 6-4, 6-7 e 6-3. O tenista grego vai assim disputar a segunda final de um Grand Slam, com a esperança de poder vingar aquela derrota sofrida em Roland Garros.

Final inédita em feminino

Este sábado de manhã (8.30 horas, Eurosport), a tenista cazaque Elena Rybakina (22.ª do ranking WTA) e a bielorrussa Aryna Sabalenka (5.ª) vão disputar o título feminino no Open da Austrália. Trata-se de um duelo que vai determinar uma campeã inédita. Aliás, apenas Rybakina, de 23 anos, se pode orgulhar de ter conquistado um Grand Slam, precisamente no ano passado em Wimbledon, sendo que esta é a primeira vez que Sabalenka vai jogar a final de um major.

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG