Desp. Chaves está de volta à I Liga. Moreirense despromovido

À semelhança do que já acontecera no ano passado com o Vizela, a equipa da segunda divisão venceu a eliminatória e garantiu o último lugar na I Liga.

Três anos depois, o Desportivo de Chaves está de volta à I Liga. Depois de ter vencido na primeira mão por 2-0, os flavienses foram a Moreira de Cónegos perder por 1-0, resultado que acabou por servir para garantir uma vaga na I Liga.

Em Moreira de Cónegos, Paulinho marcou, aos 25 minutos, o golo da equipa da casa, que não foi suficiente para superar a formação transmontana, que trazia uma vantagem de 2-0 da primeira mão, disputada em Chaves no fim de semana passado.

Os flavienses, terceiros na II Liga 2021/22, vão cumprir na próxima temporada a 17.ª presença entre os 'grandes', e primeira desde 2018/19. Por sua vez, o Moreirense está de volta ao segundo escalão depois de oito anos no topo do futebol português.

A temporada dos flavienses esteve longe de começar fulgurante e a equipa às ordens de Vítor Campelos chegou a ser dada como arredada da luta pela subida.

De resto, o Desportivo de Chaves foi afastado da Taça da Liga ao primeiro jogo, com o Farense (1-2), e da Taça de Portugal também à primeira eliminatória, ao perder por 2-0 em casa do Felgueiras 1932, do terceiro escalão.

Até à 12.ª jornada, o conjunto de Trás-os-Montes alcançou apenas três vitórias e cinco empates, sendo que somou quatro das cinco derrotas em toda a temporada.

Tudo mudou a partir de 05 de dezembro, com o triunfo no Sporting da Covilhã por 2-0, que levou a equipa a alcançar logo quatro vitórias consecutivas, seguindo-se um empate e a melhor série da temporada, com cinco triunfos seguidos.

Esta boa série seria repetida no mês de abril, com mais cinco vitórias consecutivas a deixarem o Desportivo de Chaves às portas da subida, assegurando o terceiro lugar e a ida ao 'play-off'.

Vítor Campelos, de 47 anos, que alcançou a primeira subida à I Liga do seu currículo, foi o 'timoneiro' do plantel transmontano, que garantiu o regresso ao primeiro escalão após três temporadas arredado.

O técnico natural de Guimarães repete o feito alcançado já este século pelo malogrado Vítor Oliveira, quando o matosinhense devolveu Chaves ao escalão máximo em 2015/2016, 17 anos depois da última presença.

Nas contas da II Liga, o Sporting da Covilhã garantiu a continuidade no segundo escalão, depois de bater o Alverca por 2-0. Na primeira mão, disputada em Alverca, as equipas tinham empatado a zeros. Com este resultado, a equipa do RIbatejo continua no terceiro escalão do futebol.

Regresso do Chaves à I Liga é importante para a afirmação de toda a região

O regresso do Desportivo de Chaves ao topo do futebol português é importante para a "afirmação" de toda uma região do Alto Tâmega, destacou o presidente da Câmara local, Nuno Vaz.

"Esta é uma vitória de uma cidade, de um concelho e de uma região. É a vitória que mostra a vontade, o querer e a superação de uma equipa e traduz na presença do Chaves entre os grandes, que merece, como um clube do interior que supera as dificuldades", realçou à Lusa o autarca flaviense.

O Desportivo de Chaves garantiu hoje a 18.ª e última vaga na I Liga portuguesa de futebol de 2022/23, mesmo perdendo com o Moreirense por 1-0, na segunda mão do 'play-off' de acesso ao escalão principal, depois de ter vencido por 2-0 na primeira mão.

No regresso de Moreira de Cónegos, onde assistiu ao vivo à subida do Desportivo de Chaves, três anos depois da última presença, Nuno Vaz destacou a importância para a "afirmação do concelho e do Alto Tâmega".

"Ajuda a contribuir para a afirmação de Chaves, o seu valor e potencialidade. O Desportivo é o principal embaixador do concelho, do Alto Tâmega e de toda uma região de Trás-os-Montes", sublinhou o autarca socialista.

Nuno Vaz felicitou ainda "de forma efusiva" a equipa, "os jogadores, equipa técnica, Francisco Carvalho [investidor e presidente honorário do clube], toda a direção e, naturalmente, todos os adeptos".

"Principalmente aqueles que sempre acreditaram nesta felicidade, que era a subida de divisão", acrescentou.

Para o presidente da Câmara de Chaves, houve um contágio positivo, de "querer, determinação, vontade, garra e raça" sobre o que é ser transmontano.

"A equipa soube interpretar isso, também foi contagiada e contagiou os adeptos", salientou.

A autarquia de Chaves recebe esta segunda-feira ao final da manhã a comitiva do Desportivo de Chaves que assegurou mais uma presença no topo do futebol português, adiantou ainda.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG