Conheça melhor os três adversários de Portugal no Mundial

Portugal vai medir forças no Grupo H com o Gana, Uruguai e Coreia do Sul

A seleção portuguesa de futebol vai defrontar na fase de grupos do Mundial de 2022, no Qatar, os adversários face aos quais se despediu das edições de 2002 (Coreia do Sul), 2014 (Gana) e 2018 (Uruguai).

URUGUAI

O Uruguai é uma das seleções com mais currículo do planeta, contabilizando dois títulos mundiais (1930 e 1950) e 15 Copas Américas, a última das quais em 2011, que premiou uma fantástica geração de futebolistas, da qual ainda resistem Luís Suárez, Cavani, Muslera, Godin e o Coates (Sporting), que devem fazer parte do lote de jogadores que vai estar no Qatar. Essa equipa era treinada pelo histórico Oscar Tabárez que, após 15 anos à frente da equipa, foi despedido em novembro após quatro derrotas consecutivas que colocaram em risco o apuramento. O sucessor Diego Alonso tinha uma missão difícil, mas cumpriu-a com vitórias nas últimas quatro partidas. A seleção uruguaia está numa fase de renovação, mas em que jogadores mais jovens como Ronald Araujo, Brian Rodríguez, Betancur, Fede Valverde, Pellistri e Darwin Núnez prometem manter La Celeste a um nível alto. Portugal e Uruguai enfrentaram-se três vezes, mas apenas uma vez num jogo oficial, nos oitavos-de-final do Mundial 2018, quando dois golos de Cavani afastaram a equipa das quinas (1-2). O primeiro duelo foi um particular no Jamor, nas vésperas do Mundial 1966, no qual José Torres fez um hattrick na vitória por 3-0. O outro confronto, no Maracanã, terminou 1-1 na Taça da Independência do Brasil, em 1972.

GANA

A seleção ganesa apurou-se para o Mundial através de um play-off, no qual eliminou a Nigéria apesar de não ter ganho nenhum dos jogos - empatou (0-0) em casa e arrancou uma igualdade (1-1) fora. Golo que foi da autoria da estrela da companhia, o médio Thomas Partey, que atua no Arsenal, da Premier League. Na seleção africana atua também Abdul Fatawu Issahaku, jovem de 18 anos recentemente contratado pelo Sporting, mas que nunca representou os leões. E também Abdul Mumin, do V. Guimarães. Na recente Taça das Nações africacas, o Gana foi uma das desilusões da prova, ao cair na primeira fase, um fracasso que custou o lugar ao treinador sérvio Milovan Rajevac, que foi substituído por Otto Addo, ex-jogador ganês que fez carreira no futebol alemão. Apesar de ser considerada uma das melhores seleções africanas, só marcou presença em três fases finais de Mundiais (esta é a quarta), em que o melhor desempenho foram os quartos-de-final alcançados no Campeoanto do Mundo de 2010. Os africanos apenas se cruzaram uma vez no caminho de Portugal, curiosamente num Mundial. Foi em 2014, na fase de grupos, jogo que a seleção lusa venceu por 2-1... com Paulo Bento como selecionador. O Gana tem como maiores troféus as quatro vitórias na Taça das Nações Africanas (1963, 1965, 1978 e 1982).

COREIA DO SUL

A seleção dirigida por Paulo Bento vai ser um dos adversários de Portugal no Grupo H, depois de uma fase de qualificação relativamente tranquila, na qual terminou no segundo lugar, atrás do Irão. Esta é a 11.ª presença dos sul-coreanos em fases finais de Mundiais e a 10.º consecutiva. Na seleção asiática salta à vista um nome: Son Heung-min, avançado de 29 anos que joga no Tottenham, da Premier League, que representou ainda o Bayer Leverkusen e o Hamburgo. A equipa de Paulo Bento conta ainda com outros internacionais que atuam em campeonatos europeus, casos de Hee-chan Hwang (Wolverhampton), Hwang Ui-jo (Bordéus) e Kim Min-jae (Fenerbahçe). Paulo Bento está à frente da equipa desde agosto de 2018 e, nem de propósito, esta semana numa entrevista à TSF, tinha dito que gostava de evitar Portugal, "não pelo aspeto desportivo, mas pelo aspeto emocional". A Coreia do Sul só se cruzou uma vez no caminho de Portugal, num jogo de má memória para a equipa das quinas, com uma derrota por 1-0 na fase de grupos do Mundial2002, que ficou marcado pela agressão de João Vieira Pinto ao árbitro argentino Ángel Sánchez. Refira-se que Paulo Bento é até hoje o selecionador da Coreia do Sul há mais tempo no cargo e com um bom registo. Em 42 jogos, venceu 28, empatou oito e perdeu cinco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG