Desporto
24 abril 2022 às 12h03

Conceição e a hipótese de ser campeão esta segunda-feira. "Temos de fazer o nosso trabalho"

Sérgio Conceição diz que o foco é ganhar o jogo frente ao Sporting de Braga e desvaloriza ansiedade do FC Porto poder ser campeão já esta segunda-feira.

Lusa

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, admitiu este domingo não haver ansiedade de ser campeão nacional o mais rápido possível, independentemente do cenário, salientando que o foco é apenas "ganhar títulos".

"Como já disse em relação ao poder ser campeão no sofá ou no campo, temos de olhar para um campeonato que fizemos e que ainda não está ganho. Faltam jogos e pontos. É nisso que estamos concentrados. Quero é ganhar títulos. Há pessoas que gostam de uma maneira ou de outra. Eu gosto de ganhar. Ponto final", referiu Sérgio Conceição.

Na conferência de imprensa de antevisão da partida com o Sporting de Braga, da 31.ª jornada da I Liga, Conceição foi confrontado com a possibilidade de o FC Porto poder ser campeão já na próxima segunda-feira, mas desvalorizou essa ideia, apontando o foco apenas para o jogo com os bracarenses.

"Não sou muito dado a festejos, a grandes festas e coisas do género. A nossa festa é dentro de campo. Temos de ganhar o jogo, de fazer o nosso trabalho. Faltam quatro jogos, todos eles de um grau de dificuldade altíssimo. Temos um Braga a lutar pelo máximo de pontos possível, um Vizela com a sua ambição, vamos à Luz, temos o Estoril. Todos jogos difíceis. Temos de pensar no próximo", salientou.

Além disso, e com as contas muito favoráveis para os azuis e brancos conquistarem o título nacional, Sérgio Conceição garantiu que a conquista do campeonato não foi ainda assunto no balneário.

"Temos um grupo adulto. Toda a gente que trabalha aqui, nos diferentes departamentos diariamente, está focada no jogo com o Sporting de Braga. Não é amanhã [segunda-feira] que é importante, mas sim as 34 jornadas. O próximo jogo é o mais importante, será muito difícil, e estamos completamente focados no que falta jogar. Não há esse pensamento, mas obviamente que olhamos para o que está à nossa volta", disse.

Para a deslocação a Braga, Sérgio Conceição está à espera de grandes dificuldades, mas garantiu que a sua equipa está preparada para o desafio. "Queremos estar num nível alto, só assim poderemos ganhar em Braga. A dificuldade é grande, mas a nossa equipa está habituada a dificuldades", frisou ainda.

Enquanto isso, Carlos Carvalhal, treinador do Sporting de Braga, considerou o FC Porto o "adversário mais difícil" do campeonato, mas garantiu que a sua equipa quer infligir a primeira derrota aos dragões.

A conferência de imprensa de antevisão da receção aos dragões ficou marcada pelo anúncio por parte de Carlos Carvalhal da saída de Al Musrati no final da temporada. "Só espero que no fim da época, quando for a situação da sua saída, o Braga possa ter um bom encaixe financeiro num jogador que veio a custo zero", disse o técnico.

Sobre o jogador muçulmano, a cumprir o Ramadão, Carlos Carvalhal disse que a sua utilização diante do FC Porto "está em suspenso" por causa das limitações do horário de alimentação que esse rito exige (só entre o pôr e o nascer do sol, sendo que o jogo começa às 18.00).

"Nunca podemos prever como se poderá sentir às 17.00 ou 18.00. Há sempre uma palavra do jogador, saberemos geri-lo da melhor forma, mas é um ponto de interrogação. O Gorby tem ainda uma ou outra limitação que temos vindo a trabalhar, mas é o que está mais à frente" para eventualmente substituir Al Musrati, disse.

O treinador falou de Al Musrati a propósito de Taremi, que chegou a Portugal, ao Rio Ave, pelas mãos de Carlos Carvalhal, então técnico dos vila-condenses, e o agora treinador dos bracarenses diz não estar surpreendido com a performance do avançado iraniano do FC Porto.

"Imaginava que podia chegar a este nível, ele já tinha tido possibilidade de vir para Portugal e os clubes hesitaram muito, mas nós não duvidámos e na altura disse [aos responsáveis do Rio Ave] que valia a pena fazer um esforço porque era um jogador de nível altíssimo e ira ser um jogador de primeiro plano", disse.

Se vencer os portistas, o Sporting de Braga garante o quarto lugar, mas o treinador considera que ainda "há trabalho para fazer", porque a situação ainda não está totalmente definida.

"O FC Porto está invencível há 58 jogos e vai ser um jogo que coloca a nossa equipa no limite da capacidade porque vamos defrontar o adversário mais difícil, neste momento, do futebol português, os resultados assim o expressam. Nós somos uma equipa que temos vindo a crescer ao longo da época, ganhámos ao Sporting, Benfica, Mónaco, por exemplo, e este é um grande desafio para os jovens da nossa equipa, uma boa oportunidade para crescerem. É preciso um fim de tarde à Braga, com o apoio e paciência dos adeptos e os jogadores no limite", disse.

O FC Porto pode carimbar a conquista do título nacional na segunda-feira se fizer melhor resultado que o Sporting, que joga no Bessa, com o Boavista, no mesmo dia (20:30).

"Nem falámos disso, fizemos a preparação específica tendo em conta os muitos pontos fortes que o FC Porto tem e alguns fracos, como todas as equipas. Temos que nos focar na nossa tarefa e queremos ser competitivos. A equipa atingiu alguma maturidade nesta segunda parte do campeonato e este jogo é uma prova de fogo para os nossos jogadores e para os nossos jovens", disse.

Para Carlos Carvalhal, o desejo dos adeptos 'arsenalistas' não verem o FC Porto festejar em sua casa é uma questão "lateral".

"A minha preocupação é como treinador, preparar o jogo, tudo o que é lateral não entra nas nossas contas porque isso só traz desfocalização", reforçou.

Carlos Carvalhal deixou elogios a Sérgio Conceição, "um treinador muito conotado com os valores do FC Porto, de entrega e atitude, mas ele é muito mais do que isso e a prova é a evolução tática da equipa".

"O FC Porto tem um nível futebolístico muito alto, possivelmente vai ser campeão e é uma das melhores equipas a futebol esta época", disse.

Carlos Carvalhal disse também que "nada se alterou" em relação ao seu futuro, que continua indefinido.

"Respeito pelo Sporting de Braga até ao último segundo, a dar o máximo, a pensar e a acautelar o futuro do clube. Imaginem estes jovens daqui a duas épocas. Essa é a nossa missão. Não estou minimamente preocupado, estou habituado a um ou outro rumor. Não quis sair a meio da viagem, quando tive uma proposta muito vantajosa financeiramente e desportivamente, quis ficar no meio 'tempestade' e tenho tido uma postura de dedicação ao clube que não pode ser contestada", disse.

Castro, Iuri Medeiros, Rodrigo Gomes e Vítor Oliveira deverão estar de volta às opções de Carlos Carvalhal que continua sem poder contar com Sequeira e Roger, lesionados.