COMENTÁRIO: FC Porto tricampeão nacional de andebol após triunfo tranquilo

O FC Porto sagrou-se na sexta-feira tricampeão nacional de andebol, ao vencer fora o Águas Santas por 34-18, em jogo relativo à 29.ª e penúltima jornada do campeonato nacional de andebol.

Numa partida sem grande história, os 'dragões' venciam já ao intervalo por 13-9 e dominaram totalmente a segunda parte, graças ao seu poderio físico e à elevada intensidade que puseram nas suas ações, tanto atacantes como defensivas, e que o Águas Santas não conseguiu acompanhar.

Os portistas precisavam de dois pontos para conquistar o seu 23.º título nacional, mas começaram devagar e o Águas Santas aproveitou e conseguiu mesmo uma vantagem pontual (4-3), que não mais, porém, seria repetida, porque, gradualmente, o FC Porto impôs a sua força individual e coletiva.

O guardião do Águas Santas, António Campos, evitou males maiores, mas foi impotente para travar a dinâmica ofensiva do adversário e foi sem surpresa que o FC Porto foi para o intervalo já com uma vantagem de quatro golos.

O Águas Santas afundou-se na segunda parte, vítima dos seus erros e do elevado ritmo que os portistas adotaram, o que lhes permitiu marcara logo tês golos sem resposta (16-9).

As dúvidas que podiam restar sobre a sorte do jogo desfizeram-se rapidamente, pois o FC Porto marcou 10 golos nos 10 minutos iniciais da segunda parte, contra apenas dois do Águas Santas (23-11).

Diogo Branquinho foi um tormento para a defesa e para o guarda-redes local, mas toda a equipa orientada pelo sueco Magnus Andersson esteve num plano inacessível para o Águas Santas, que, ainda por cima, cometeu muitos erros na fase inicial do segundo tempo.

A 10 minutos do fim, o FC Porto tinha o título mais do que à vista e os seus adeptos começaram a cantar "tricampeão, tricampeão", preparando a festa que se iria seguir.

Mitrevski foi o guarda-redes titular, depois, já na segunda parte, Sebastian Frandsen substituiu-o e, a cinco minutos do final, Diogo Rêma, de 17 anos, ocupou a baliza portista, sagrando-se também campeão nacional, num jogo em que o FC Porto, com autoridade, conquistou o título a uma jornada do fim.

A festa começou quando ainda restavam alguns segundos para jogar, o FC Porto recebeu o troféu de campeão pouco depois e, por fim, celebrou com os adeptos em pleno recinto.

Jogo no Pavilhão do Águas Santas, em Águas Santas, Maia.

Águas Santas - FC Porto, 18-34.

Ao intervalo: 9-13.

Sob arbitragem de Marta Sá e Vânia Sá, as equipas alinharam e marcaram:

- Águas Santas (18): António Campos, Fábio Teixeira (2), Mário Lourenço (6), Pedro Seabra (2), Francisco Fontes (2), Miguel Baptista (3) e João Gomes (2). Jogaram ainda Ricardo Mourão, José Barbosa (1), Carlos Santos e Miguel Loureiro (gr).

Treinador. Ricardo Moreira.

- FC Porto (34): Mitreveski, Miguel Alves (4) Pedro Valdés (3), Victor Iturriza (5), Pedro Cruz (1), Djibril M´Bengue (3) e Diogo Branquinho (8). Jogaram ainda Rui Silva (3) Daymaro Salina (1), Diogo Oliveira (2), Jesús Hurtado (2) e Fábio Magalhães (1), António Areia (1) Sebastaian Frandsen (gr) e Diogo Rêma (gr).

Treinador: Magnus Andersson.

Assistência: Cerca de 800 espetadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG