Benfica e Sporting à procura do segundo título europeu de futsal

A cidade croata de Zadar recebe a partir de hoje a final a oito da principal prova da UEFA. Os encarnados abrem os quartos-de-final com os cazaques do Kairat Almaty, os leões fecham diante dos russos do KPRF Moscovo. O sonho é chegar à final de segunda-feira.

Sporting e Benfica iniciam hoje a caminhada para alcançarem o segundo título de campeão europeu de futsal. As duas melhores equipas portuguesas integram a fase final da Liga dos Campeões que se disputa, em Zadar, na Croácia, para a qual o Barcelona, vencedor em 2020, parte como favorito.

A maior competição europeia de futsal de clubes tem lugar no pavilhão Dvorana Kresimir Coric, onde o Benfica defronta os cazaques do Kairat Almaty, hoje às 14.00 horas, e o Sporting defronta o KPRF Moscovo, amanhã às 19.00, na partida que encerra os quartos-de-final.

Após o título conquistado em 2019, os leões ambicionam manter a fasquia dos últimos anos, em que foram finalistas vencidos em 2011, 2017 e 2018, embora não tenham ido além da Ronda de Elite no ano passado. Com o estatuto de terceiro no ranking da UEFA, o Sporting sonha com a quinta final, mas terá pela frente um obstáculo complicado, os russos do KPRF Moscovo, que, apesar de só contabilizar uma presença na fase final, conseguiu o terceiro lugar na estreia em 2020.

Ao leme do emblema do clube de Alvalade há quase uma década, Nuno Dias tem guiado o Sporting aos seus aos melhores resultados internacionais e apresenta-se na Champions com a proeza de ainda não ter perdido esta época (32 vitórias e três empates). Sobre a ansiada repetição do êxito de 2019, o treinador apresenta-se cauteloso: "O primeiro objetivo é ultrapassar os russos e chegar às meias-finais. Não vamos pensar em outros voos e em conquistas. Vamos pensar muito seriamente em eliminar o próximo adversário." Nuno Dias considera que os moscovitas e o Barcelona são "as equipas mais poderosas das oito" que chegaram a esta fase da Champions e pede à sua equipa que seja "muito rigorosa, objetiva e eficaz" frente ao KPRF (sigla do partido comunista russo).

Para atingir a fase final, o Sporting superou Gentofte (12-1, nos 16 avos de final) e Chrudim (5-1, nos oitavos). Caso ultrapasse o primeiro obstáculo, o Sporting disputará a meia-final de sábado com o vencedor do duelo entre os espanhóis do Inter Movistar, que detém o recorde de vitórias europeias (cinco), e os russos do Gazprom-Ugra, campeões da prova na sua primeira participação, em 2016.

"Partem todos em igualdade"

Já o Benfica apresenta-se como a quinta melhor equipa com melhor ranking entre os finalistas e vai estrear-se frente ao experiente Kairat Almaty, emblema cazaque que ocupa o quarto posto do ranking e é o recordista de participações (17) no torneio, marcando presença pela nona vez na fase final desta competição da UEFA, que venceu em 2013 e 2015.

A equipa treinada por Joel Rocha regressa à fase final depois de uma ausência que se prolongava desde 2016, ano em que alcançou o terceiro lugar. O Benfica terá de provar que ainda detém o ritmo dos melhores emblemas da Europa, onze anos após o seu título europeu (2010), numa edição disputada em Lisboa, no Altice Arena. "Qualquer uma das oito equipas em prova pode ser vencedora. Todas estão na Croácia com a intenção de vencer e, como tal, partem em igualdade de favoritismo e circunstâncias", disse Joel Rocha, que aposta num jogo "muito dividido" com o Kairat.

Até chegar à final a oito da Champions, os encarnados deixaram o Futsal Minerva (5-1, nos 16 avos de final) e Berettyóújfalu (5-0, nos oitavos). Em caso de vitória sobre o poderoso Kairat Almaty, o Benfica irá enfrentar nas meias-finais o vencedor do jogo entre os eslovenos do Dobovec e o Barcelona, o atual campeão europeu, já com três títulos no palmarés.

A fase final da Liga dos Campeões de futsal esteve inicialmente prevista para Minsk, na Bielorrússia, mas a pandemia de covid-19 forçou a mudança para a Croácia. Inicialmente, era para se realizar na capital Zagreb, mas a UEFA acabou por voltar a mudar de sede, já durante este mês, porque o pavilhão de Zagreb teve de ser convertido num hospital de campanha, apto a receber doentes infetados com o SARS-CoV-2. Assim sendo, a cidade costeira de Zadar será o palco para a reedição do sonho europeu de Benfica e Sporting.

*com Lusa

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG