Bah garante que exigência de Schmidt é a chave da invencibilidade do Benfica

O defesa-direito dinamarquês garante que nunca viu um jogador tão bom com a idade de António Silva e admite que ainda fica "um bocadinho nervoso" quando joga com o Estádio da Luz cheio.

O dinamarquês Alexander Bah deixou este domingo elogios ao treinador do Benfica, Roger Schmidt, e ao colega de equipa António Silva, confessando igualmente que continua a sentir-se "nervoso" cada vez que joga no Estádio da Luz.

O lateral benfiquista, que integra a seleção da Dinamarca que vai disputar o Mundial 2022, abordou em Doha o início de carreira no clube lisboeta, a começar pelo técnico alemão.

"Roger Schmidt é um treinador incrível, muito bom taticamente, mas igualmente na gestão humana, sabe quando criticar e quando deve elogiar. É muito bom em várias áreas", disse Bah.

O lateral, de 24 anos, disse mesmo que a chave para a invencibilidade do Benfica na presente temporada, entre I Liga, Taça de Portugal e Liga dos Campeões (21 vitórias e quatro empates em 25 jogos oficiais) se deve muito à "exigência" do germânico.

"Quando jogámos com o Paris Saint-Germain, ao intervalo ele estava um pouco zangado connosco, porque sentia que nós podíamos fazer mais e que podíamos ganhar o jogo. Acabámos por não ganhar, mas conseguimos um empate importante. Ele exige muito de nós e essa é uma das chaves [para o desempenho da equipa]", salientou.

Também o jovem António Silva, de 19 anos, que integra a seleção portuguesa no Campeonato do Mundo, mereceu palavras de apreço de Bah, que até já alertou os companheiros da seleção da Dinamarca para o potencial do central luso.

"É uma loucura. Já falei com vários colegas aqui na seleção sobre ele e disse-lhes para estarem atentos. Nunca vi um jogador daquela idade como ele. É um jovem, mas no campo tem uma personalidade diferente, é muito agressivo. Parece que está nos grandes palcos há muito tempo. Ele não se importa, joga apenas o jogo dele", elogiou.

Poucos meses depois de ter sido contratado aos checos do Slavia de Praga, o lateral dinamarquês admitiu que jogar no Estádio da Luz ainda o deixa "um bocadinho nervoso".

"Quando jogamos no Estádio da Luz é como se tivéssemos mais 10% ou 20% de força. Os adeptos têm uma paixão enorme e fazem com que nos excedamos em campo. Ainda fico um bocadinho nervoso quando entro no estádio cheio. Estou muito feliz por estar no Benfica", confessou.

Por outro lado, o defesa nórdico mostrou-se surpreendido com a ausência de Grimaldo das escolhas da seleção de Espanha, tendo em conta que o lateral esquerdo "tem sido um dos melhores" jogadores do Benfica esta temporada.

Apesar de estar longe de Lisboa, Bah admitiu que hoje vai estar atento ao encontro dos encarnados com o Estrela da Amadora, para a Taça da Liga: "Se não tivermos qualquer reunião de seleção ou jantar, vou ver o jogo".

Bah manifestou-se esperançado num bom desempenho da Dinamarca no Mundial 2022, onde se encontra após "seis meses fantásticos" no Benfica.

Internacional em quatro ocasiões, Bah foi um dos últimos atletas convocados pelo selecionador Kasper Hjulmand para fechar a lista final de 26, juntamente com o guarda-redes Frederik Ronnow (Union Berlim), os médios Robert Skov (Hoffenheim) e Christian Norgaard (Brentford) e o avançado Yussuf Poulsen (Leipzig).

"Espero que consigamos ter um bom desempenho. Nos últimos dois anos temos estado muito bem, mas há vários adversários muito fortes. Vamos pensar jogo a jogo e acredito que vai correr tudo bem", perspetivou o lateral, de 24 anos, aos jornalistas portugueses no centro de treinos da equipa nórdica, em Doha.

Na equipa treinada por Roger Schmidt, Bah ganhou a luta pelo lugar entre os titulares ao brasileiro Gilberto, um estatuto que foi importante para se estrear em fases finais do Campeonato do Mundo.

"Não acredito que se jogasse no Slavia Praga estaria aqui. Não estaria aqui sem eles [equipa técnica e colegas de equipas]. Estes seis meses têm sido fantásticos no Benfica, tenho evoluído muito", expressou.

Bah disse ainda estar "muito orgulhoso e feliz" por estar com a Dinamarca no Mundial, sendo que "sabia que iria ser convocado mais cedo ou mais tarde".

A Dinamarca integra o Grupo D do Mundial 2022, juntamente com França, campeã em título, Tunísia e Austrália, tendo estreia marcada na fase final na terça-feira, frente aos tunisinos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG