B SAD e Benfica termina aos 48 minutos por falta de jogadores 'azuis'

O encontro entre a B SAD e o Benfica terminou aos 48 minutos, por os 'azuis' terem ficado sem o número mínimo de futebolistas, depois de ter começado apenas com nove, devido a um surto de covid-19.

O Benfica venceu este sábado o Belenenses SAD, por 7-0, em jogo da 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terminou aos 48 minutos, por falta de jogadores da equipa 'azul', reduzida a seis atletas.

Num jogo que se configurou um dos episódios mais tristes do futebol português, o Benfica inaugurou o marcador num autogolo de Kau (01). Seferovic marcou o seu primeiro golo aos 14 e viria a bisar aos 39, de grande penalidade. Antes, Weigl (27) marcou num pontapé de fora da área, e Darwin (32, 36 e 45) fez um 'hat-trick' ainda no primeiro tempo.

O Belenenses entrou em campo apenas com nove jogadores, dois deles guarda-redes. Sem luvas, João Monteiro atuou como avançado e ao seu lado só teve dois jogadores do plantel principal, Calila e Rafa. Todos os outros migraram da equipa sub-23.

Perante este cenário, o jogo parecia ter um vencedor anunciado à partida e ainda antes dos 30 segundos essa ideia saiu reforçada, com o Benfica a inaugurar o marcador antes dos 30 segundos.

André Almeida cruzou no flanco direito e Kau, infeliz, no meio da confusão, meteu o pé à bola e fez autogolo.

Sem surpresa, o Benfica controlava o jogo em todo o campo e em ritmo de treino foi Seferovic a ampliar a vantagem, à passagem do minuto 14. Rafa assistiu o suíço e o avançado, com um remate de pé direito, fez o segundo golo da noite no Jamor.

O terceiro golo chegou à passagem do minuto 27. Depois de uma fase em que o Benfica foi apostando, sem sucesso, nos cruzamentos para o interior da área belenense, Weigl resolveu apostar noutra solução e, com um remate de fora da área, fuzilou a baliza de Álvaro Ramalho e fez o 3-0.

Cinco minutos volvidos foi a vez de Darwin entrar na lista de marcadores. O uruguaio desmarcou-se na área entre os centrais 'azuis' e, sem sequer ter de saltar, respondeu ao cruzamento de Lázaro e de cabeça fez o 4-0 para as 'águias'.

O avançado não demorou a bisar e aos 36 fez o 5-0 para o Benfica, num lance em que a velocidade de Rafa delineou o lance para depois assistir o uruguaio, que só teve de encostar para bater Álvaro Ramalho pela quinta vez.

Aos 39, Seferovic fez a meia dúzia e também bisou, desta feita de grande penalidade. Um defesa do Belenenses cortou com a mão um cruzamento de Rafa e a falta permitiu ao suíço elevar a contagem na linha dos 11 metros.

Antes de Manuel Mota dar por terminada a primeira parte, Darwin completou o 'hat-trick'. Apesar da fragilidade da equipa do Belenenses, o uruguaio mostrou-se impiedoso na hora de finalizar e no 7-0 tirou dois defesas do caminho com uma grande simulação e atirou cruzado, sem hipóteses para Álvaro Ramalho.

O que já parecia caricato assumiu contornos surreais depois dos 15 minutos de intervalo, que se prolongaram por mais 15 sem que o Belenenses regressasse dos balneários.

Os jogadores do Benfica, que, entretanto, já tinha realizado cinco alterações para a segunda parte, foram fazendo uma peladinha no relvado até que, com aplausos das bancadas, o Belenenses reapareceu no relvado do Jamor, com um pequeno detalhe: em vez dos nove iniciais, a equipa 'azul' já só se apresentou com sete jogadores.

E o que se adivinhava desde o início aconteceu mesmo: após Manuel Mota apitar para o reinício do encontro, João Monteiro deixou-se cair no relvado e o árbitro foi forçado a acabar com o jogo por o Belenenses não ter jogadores suficientes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG