Dois Martínez levam Messi para as meias-finais do Mundial

Argentina esteve a vencer por 2-0 graças à magia do seu número 10, mas Van Gaal lançou a arma secreta Weghorst, que bisou e levou a partida para os penáltis. Emiliano defendeu dois remates e Lautaro fez rebentar a festa.

A Argentina garantiu ontem o apuramento para as meias-finais do Mundial 2022, após vencer os Países Baixos no desempate por penáltis (4-3), após uma igualdade 2-2. Nos momentos decisivos, o apelido dos heróis foi Martínez: Emiliano defendeu os dois primeiros remates holandeses e Lautaro carimbou o triunfo no penálti decisivo. Esta será a sexta vez que a Argentina joga as meias-finais, sendo que conseguiram sempre chegar à final. Um alerta para a Croácia, o outro semifinalista.

A partida começou em ritmo muito baixo com as duas equipas com receio de arriscar. Messi, que igualava o alemão Miroslav Klose, como segundo jogador com mais jogos em Mundiais (24), sofria uma marcação em (quase) todo o campo por parte de Marten de Roon.

Os poucos remates estavam a sair sem direção, até que lá apareceu Messi a inventar um passe no meio dos holandeses, esticando uma passadeira vermelha para o defesa-direito Nahuel Molina abrir o marcador. Um momento sublime do jogador do PSG, que somou a sétima assistência em Mundiais, ficando a uma do recorde de Maradona.

Com os benfiquistas Otamendi e Enzo Fernández como titulares, os argentinos mantiveram a matriz conservadora com que entraram para a partida (três centrais) e até ao intervalo mantiveram a seleção de Louis van Gaal longe da baliza defendida por Emiliano Martínez.

Era preciso uma seleção holandesa mais atrevida para criar problemas aos sul-americanos. E foi com esse propósito que Van Gaal lançou Koopmeiners e Berghuis para a segunda parte. Um dos jogadores que saiu foi De Roon, o polícia de Messi, que ainda assim manteve-se sob vigilância laranja.

No entanto, os Países Baixos continuavam com dificuldade em criar oportunidades. Ao contrário, os argentinos procuravam os contra-ataques rápidos, com Messi a mostrar alguns dos passos de magia que o caracterizam. E foi na cobrança de um livre direto (63") que esteve perto de voltar a marcar, o pontapé foi forte e deu a sensação de golo.

Van Gaal não quis esperar mais e lançou o ponta-de-lança Luuk de Jong para o lugar de Daley Blind. Mas não demorou muito até que Dumfries derrubasse Marcos Acuña na área. Messi, pois claro, pegou na bola e fez o 2-0, igualando Batistuta como melhor marcador do seu país em Mundiais.

As meias-finais estavam cada vez mais perto os sub-americanos, mas aos 83 minutos surgiu um poderoso cabeceamento de Wout Weghorst, na sequência de um cruzamento de Berghuis, que fez reentrar os holandeses na luta pelo apuramento.

Os minutos finais foram emocionantes com Van Gaal a arriscar tudo na procura do empate. E foi já nos instantes finais que os holandeses inventaram o empate com um livre direto inédito, finalizado por Weghorst, o ás de trunfo que Van Gaal tinha guardado no banco até aos 78 minutos para uma hora de aperto.

No prolongamento, Lautaro, por duas vezes, e Enzo Fernández, com um remate ao poste, estiveram perto de dar a vitória à Argentina, mas o jogo acabou por ir para os penáltis, onde Emiliano Martínez parou os primeiros dois remates, de Van Dijk e Berghuis, e tornou-se herói.

VEJA AQUI AS ESTATÍSTICAS DO JOGO

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG