Ronaldo ensombra Bola de Ouro e fica em sexto

Jogador acusou chefe de redação da France Football - publicação responsável pela atribuição do prémio - de mentir ao dizer que ele confessou que o seu objetivo era terminar a carreira com mais Bolas de Ouro do que Messi.

DN

Cristiano Ronaldo ficou em sexto lugar na edição da Bola de Ouro 2021 ganha por Lionel Messi. CR7 ficou fora da final dos últimos três nomeados pela segunda vez na história do troféu - a última tinha sido em 2010, quando Messi venceu e o pódio ficou completo com Iniesta e Xavi -, mas não deixou de ser um dos protagonistas da noite.

Antes de ser anunciada a sua classificação, o português deixou duras críticas a Pascal Ferré, chefe de redação da France Football - publicação responsável pela atribuição da Bola de Ouro -, que afirmou que CR7 lhe confessara que o seu objetivo era terminar a carreira com mais Bolas de Ouro do que Messi. Algo que é mentira, segundo o capitão da seleção nacional e dono de 5 troféus.

"O desfecho de hoje explica o porquê das declarações de Pascal Ferré na última semana, ao afirmar que eu lhe confidenciei que tinha como única ambição terminar a minha carreira com mais Bolas de Ouro do que Lionel Messi. Pascal Ferré mentiu, usou o meu nome para se promover e para promover a publicação para a qual trabalha. É inadmissível que o responsável pela atribuição de tão prestigiado prémio possa mentir desta forma, num absoluto desrespeito por alguém que sempre respeitou a France Football e a Bola de Ouro. E mentiu novamente hoje ao justificar a minha ausência da Gala com uma alegada quarentena que não tem nenhuma razão de ser", pode ler-se na longa publicação de Ronaldo no Instagram feita a menos de duas horas de ser conhecido o vencedor do troféu.

Ao início da tarde a organização informou que o jogador do Manchester United já não iria estar presente na cerimónia da atribuição dos prémios como previsto, justificando a ausência com restrições ligadas à pandemia da covid-19.

O capitão nacional não escondeu que a sua maior ambição é "é conquistar títulos nacionais e internacionais pelos clubes que represento e pela Seleção", mas também ser "um bom exemplo para todos aqueles que são ou desejam ser futebolistas profissionais" e "deixar o meu nome escrito a letras de ouro na história do futebol mundial".

Ronaldo terminou, dando o "parabéns a quem ganha", dentro do desportivismo e fairplay que o norteiam garantindo que não ganha "contra ninguém". E lançou assim suspeitas sobre a atribuição do prémio antes mesmo de se saber quem venceu. "O resto? O resto é apenas o resto..." terminou Cristiano Ronaldo.