Morreu Ennio Morricone. Compôs as mais belas bandas sonoras do cinema

O músico e compositor tinha 91 anos. Vencedor de um Óscar, foi autor das bandas sonoras de filmes como "Aconteceu no Oeste", "O Bom, o Mau e o Vilão" ou "Cinema Paraíso".

Ennio Morricone morreu durante a madrugada desta segunda-feira numa clínica em Roma onde estava hospitalizado após uma fratura de fémur na sequência de uma queda. O maestro tinha 91 anos.

O funeral do músico e compositor será privado para respeitar "o sentimento de humildade que sempre inspirou os seus atos", escreve o jornal italiano La Reppublica.

Morricone compôs 500 bandas sonoras para cinema e televisão - como "Aconteceu no Oeste", "O Bom, o Mau e o Vilão", "A Missão" ou "Cinema Paraíso", para além de 100 peças clássicas.

Ennio Morricone venceu cinco prémios BAFTA entre 1979 e 1992. Foi também nomeado pela Academia de Hollywood para cinco Óscares de Melhor Banda Sonora Original entre 1979 e 2001, não tendo vencido nenhum deles.

Em 2007, o maestro recebeu das mãos de Clint Eastwood um Óscar Honorário "pelas magníficas e multifacetadas contribuições musicais {que ofereceu] ao cinema".

Em 2016 ganhou o Globo de Ouro e o Óscar pela banda sonora de "Os Oito Odiados", do realizador Quentin Tarantino.

A morte foi anunciada pelo amigo e advogado da família, Giorgio Assumma. "Morricone morreu ao amanhecer de 6 de julho em Roma, com o conforto da fé".

"Preservou até ao fim a lucidez e a grande dignidade", acrescentou o advogado revelando que o maestro se despediu da mulher, Maria, "que o acompanhou com dedicação em todos os momentos da sua vida humana e profissional e esteve perto dele até ao último suspiro" e ainda "agradeceu aos filhos e netos pelo amor e carinho que lhe deram", disse o advogado, citado pelo jornal italiano.

"Adeus 'maestro' e obrigado pelas emoções que nos ofereceste", disse Roberto Speranza, ministro da Saúde do governo de Roma, através de uma mensagem difundida pela rede social Twitter".

Ennio Morricone lembrou ainda o seu público, o" apoio afetuoso" que foi a força motriz da criatividade do maestro.

Criou o ambiente para os western spaghetti de Sergio Leone

Em novembro de 2018, por altura do 90º aniversário do maestro, João Gobern recordou como o realizador italiano Sergio Leone e Morricone foram corresponsáveis por modelar uma fórmula estruturante que traçou aquilo que ficou conhecido como western spaghetti, designação rejeitada pelo compositor, que a considerava "redutora".

"Foi a chamada, inicialmente reticente, de um antigo colega de escola que mudou a vida de Ennio Morricone, ao ser desafiado por Sergio Leone para se ocupar da música de Por Um Punhado de Dólares".

A última vez que o compositor atuou em Portugal foi em maio do ano passado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG