Kanye West em nova polémica: "Eu gosto do Hitler"

Músico e rapper tem tido várias intervenções polémicas nos últimos tempos, que já levaram à perda de várias parcerias comerciais.

Em mais uma entrevista polémica, Kanye West assumiu esta quinta-feira "amor" pelos Nazis e admiração por Adolf Hitler. As declarações foram feitas no livestream Infowars, de Alex Jones, conhecido pelas suas teorias da conspiração e pelas posições de extrema-direita.

Usando uma máscara completamente negra a cobrir-lhe totalmente o rosto - sem buracos para os olhos ou para a boca -, Kanye West afirmou, a certa altura: "Eu gosto do Hitler. Também vejo coisas boas em Hitler. O tipo inventou as autoestradas e o próprio microfone. Não se pode dizer em voz alta que estas pessoas também fizeram algo de bom e estou farto disso. Cada ser humano trouxe algo de valor para a mesa, especialmente Hitler."

Ao longo de todo o programa, as afirmações do rapper e empresário foram causando gargalhadas e até momentos de desacordo entre Jones e West, que assumiu publicamente que vai concorrer à presidência norte-americana em 2024.

Além disso, Kanye West esteve no programa de Alex Jones com Nick Fuentes, o mesmo supremacista branco que jantou com Donald Trump na semana passada na propriedade do ex-presidente na Florida, numa reunião que provocou indignação.

Em reação às declarações, a Coligação Judaica Republica chamou aos três homens "um triunvirato nojento de teóricos da conspiração, negadores do Holocausto, e antissemitas". "Dado o seu elogio a Hitler, não pode ser exagerado que Kanye West é um fanático vil e repelente que visou a comunidade judaica com ameaças e difamação ao estilo nazi", disse uma declaração da coligação.

Provocador como de costume, Alex Jones (que foi condenado a pagar centenas de milhões de dólares de indemnização por ter reclamado um dos tiroteios escolares mais mortíferos da América, foi um "embuste"), contestou as posições de West e afirmou que "os nazis eram bandidos e faziam coisas muito más". Kanye West não recuou e afirmou: "Amo os nazis."

Nos últimos tempos, Kanye West tem tido várias intervenções públicas polémicas que têm resultado em perdas de patrocínios e contratos comerciais. Em outubro, por exemplo, a Adidas cortou a sua lucrativa parceria com Kanye West depois de a estrela ter feito declarações antissemitas. A marca Balenciaga e a loja de roupa americana Gap também puseram fim às ligações com o rapper, que apareceu num desfile de moda parisiense com uma camisa com o slogan "White Lives Matter", uma reprimenda ao movimento de igualdade racial "Black Lives Matter".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG