Curar o Comum: Candidatura de Leiria a Capital da Cultura 2027 já seguiu

O anúncio de finalistas é esperado no primeiro trimestre de 2022 e a designação da Capital Europeia da Cultura 2027 vai ocorrer em dezembro de 2022 ou janeiro de 2023. Sob o lema Curate the Commons/ Curar o Comum, o Livro de Candidatura (Bid Book) seguiu para o Júri europeu

Nesta quinta-feira, dia 18, concretizou-se um dos passos mais importantes do processo de candidatura do território da Rede Cultura 2027 (Leiria + 25 municípios + Diocese + Instituto Politécnico de Leiria + Instituto Politécnico de Tomar + Nerlei), a Capital Europeia da Cultura 2027, com o envio do Livro de Candidatura, o Bid Book a ser remetido para o júri europeu, assinalando o cumprimento da primeira etapa oficial na corrida a Capital Europeia da Cultura.

"Que candidatura é esta?" foi o tema da conversa que se seguiu e que colocou Gonçalo Lopes, presidente do Conselho Geral da Rede Cultura 2027, e Ana Bonifácio e Lígia Afonso, duas das cinco redatoras do Bid Book, numa conversa com moderação de Paulo Lameiro, coordenador do grupo executivo da Rede Cultura 2027, na sede da Rede Cultura 2027. No final da sessão, foi apresentado o vídeo da candidatura, que será divulgado ao público no final deste dia, logo após o fim da reunião do Conselho Geral, onde será oficialmente apresentado.

"Como a Europa é composta por diferentes países, também a nossa Rede é formada por diferentes intervenientes", disse Gonçalo Lopes. "Hoje estamos a meio do caminho. Passaram seis anos e temos mais seis anos. Se conseguirmos o título serão seis anos para ser Capital Europeia da Cultura se não tivermos o título temos seis anos para caminhar para um novo fundamento da cultura do nosso território". Foi desta forma que Paulo Lameiro deu início à conversa, antes de passar a palavra a Gonçalo Lopes, presidente da Câmara Municipal de Leiria, que sublinhou "o sentimento coletivo" que hoje se sente, confirmando que "quando se trabalha com estratégia e com as pessoas, conseguimos mudar o território e a vida dos seus habitantes".

"Nos últimos 10 anos, a cultura passou a ser a imagem de Leiria. Até aqui tínhamos a autoestima reduzida em termos de cultura, mas a verdade é que temos talento", referiu o também presidente do Conselho Geral da Rede Cultura 2027. "Quando percebemos que o território de Leiria era pequeno para a ambição que tínhamos, pegamos nos argumentos para ir mais além e juntos criamos esta Rede forte que está na linha da frente" neste processo de candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027.

"Curate the Commons / Curar o Comum" é o lema da candidatura

Em inglês, "curate the commons"; em português, "curar o comum" é o lema desta candidatura. A tradução "não é literal", explicou Lígia Afonso, uma das cinco autoras do livro de candidatura (bid book) de Leiria a Capital Europeia da Cultura, esclarecendo que "este é um território da cura, das águas termais, da hospitalidade, da peregrinação, do encontro... este é um território protótipo da Europa". "O curar é também regenerativo, curar as feridas, como Pedrógão Grande e o Pinhal de Leiria, positivando o que de mau aconteceu nesta região ou chamando a atenção para a revitalização dos nossos centros históricos", disse.

Ao mesmo tempo, curar também é curadoria, "os que cuidam das obras" e nesta parte Lígia Afonso sublinhou que "foram chamados e ouvidos os agentes culturais do território e esta candidatura foi construída em cima das suas necessidades". "Curar, ouvir, cuidar. Queremos apostar no passado para criar marcas de futuro", rematou.

Para Ana Bonifácio, a outra redatora presente na conversa desta manhã, na sede da Rede Cultura", o "comum" do lema da candidatura, o vulgar, é a definição da expressão "pessoas vulgares são capazes de feitos invulgares". "Este talento que nos torna comuns traz este lado coletivo que nos distingue". A autora frisou no momento que "esta candidatura não vai construir infraestruturas, mas antes vai regenerar e recuperar o que existe no território".

"Uma das marcas desta candidatura é o tempo longo. Temos o menino do Lapedo que nos mostra que a Europa é feita por todos", conclui Paulo Lameiro.

O anúncio de finalistas é esperado no primeiro trimestre de 2022 e a designação da Capital Europeia da Cultura 2027 vai ocorrer em dezembro de 2022 ou janeiro de 2023.

A escolha é da responsabilidade de um júri de peritos independentes, com membros nomeados pelo Parlamento Europeu, Conselho Europeu, Comissão Europeia, Comité das Regiões e pelo Ministério da Cultura português.

A Rede Cultura 2027 tem Leiria como ponto de partida, mas agrega 25 outros concelhos, a Diocese, dois Politécnicos e uma Associação Empresarial, que tecem uma malha diversificada e que alcança mais de 800 mil habitantes, e que totaliza quase 6.000 km2 de extensão, com uma distância superior a 170 km entre os seus extremos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG