Buraco negro no centro da galáxia gerou bolha de gás

A bolha de gás foi detetada no Sagittarius A*, o buraco negro supermassivo no coração da Via Láctea que está a pelo menos 27 000 anos-luz da Terra.

Os astrónomos observaram o aparecimento fugaz de uma bolha de gás circulando, a velocidades "incríveis", no buraco negro no centro da nossa galáxia, de acordo com um estudo científico publicado nesta quinta-feira.

A deteção desta bolha, cujo tempo de vida não ultrapassou algumas horas, pode fornecer informações sobre o comportamento dos buracos negros. Esses objetos astronómicos são ainda mais misteriosos, porque são literalmente invisíveis. E sua força gravitacional é tal que nem mesmo a luz pode escapar.

Sagittarius A*, o buraco negro supermassivo no coração da Via Láctea, está a pelo menos 27 000 anos-luz da Terra., foi detetado graças ao movimento das estrelas em sua órbita.

A colaboração EHT, uma rede mundial de radiotelescópios, publicou em maio passado a primeira imagem do anel de material que envolve o buraco negro antes de ser absorvido por ele.

O ALMA, um desses radiotelescópios localizado no Chile, captou um sinal "muito surpreendente" nos dados de observação de Sagittarius A*, disse à AFP o astrofísico Maciek Wielgus, do Instituto Alemão Max Planck de Radioastronomia. Poucos minutos antes de ALMA coletar esses dados, o telescópio espacial Chandra detetou "uma enorme emissão" de raios X de Sagittarius A*, relatou Wielgus.

Essa explosão de energia, que se acredita ser semelhante às tempestades solares, enviou uma bolha de gás voando ao redor do buraco negro a toda velocidade, descreve o estudo publicado na revista Astronomy and Astrophysics.

O fenómeno observado durante cerca de uma hora e meia permitiu calcular que a bolha de gás fez uma órbita completa do buraco negro em apenas 70 minutos, ou seja, a uma velocidade 30% equivalente à da luz, que vai para 300 000 quilómetros por segundo. Uma velocidade que "desafia a imaginação", segundo Wielgus .

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG