Cascais vai ser centro da inovação tecnológica

A cidade foi escolhida para receber o World Summit Awards Global Congress, de 10 a 12 de abril, concurso criado no âmbito das Nações Unidas para avaliar soluções digitais viradas para o desenvolvimento humano. Dos projetos de 178 países, mais de 500 participantes passarão por Cascais para assistir às apresentações dos 40 finalistas.

Portugal tem estado em destaque no World Summit Awards, organizado no âmbito das Nações Unidas e que todos os anos junta inovadores de 178 países para mostrarem as suas ideias num concurso com oito categorias distintas mas com um propósito único: revelar projetos inovadores no campo digital que tenham o propósito maior de acelerarem a mudança social de forma sustentável.

E, desta vez, além das ideias, Portugal terá um espaço acrescido: será palco do evento principal, onde os finalistas de 178 países tão distintos como o Chile, a Índia, o Japão ou a Austrália levarão os seus projetos de Inovação Digital com impacto no desenvolvimento sustentável. Pela primeira vez, o WSA World Congress vai realizar-se no nosso país, na Nova SBE, em Cascais, entre 10 e 12 de abril.

Durante três dias, mais de 500 pessoas deverão passar por Cascais, todas com ideias inovadoras no campo digital e sempre com o propósito maior de acelerarem a mudança social de forma sustentável, traço que vai unir os 40 finalistas e os respetivos projetos. No final, serão anunciados os oito grandes vencedores do concurso deste ano, que conta com o envolvimento da APDC (organizer), da Câmara Municipal de Cascais (hosting partner) e da Nova SBE (institutional partner), abrindo as portas do novo campus de Carcavelos à iniciativa.

Considerando "um enorme prazer" que Cascais tenha sido escolhida para receber o The World Summit Awards, o vice-presidente da Câmara, Miguel Pinto Luz, afirma que este é "um prémio que identifica inovação local e de grande impacto e que reconheceu o City Points Cascais em 2018 como a melhor app na categoria de governo". "O conjunto de empreendedores e iniciativas do mundo inteiro que se reúnem à volta deste prémio constituem uma plataforma colaborativa única, focada no impacto social, e que engloba uma rede global de inovadores, empresários, líderes públicos, a academia e a sociedade civil. Este é também o DNA de Cascais pelo que não podíamos deixar passar a oportunidade de receber e colaborar na organização do WSA no nosso município", afirma.

Também a APDC reage com orgulho à escolha de Cascais para receber a final. "A APDC está ligada a este grande evento mundial há oito anos, liderando o processo de seleção dos projetos portugueses a esta iniciativa mundial. Percebemos desde logo o interesse do WSA: conhecemos ideias vencedoras verdadeiramente inovadoras e que fazem a diferença em termos sociais, sempre assentes na tecnologia e inovação, o que felizmente tem cada vez mais interesse para o nosso país e para os nossos associados. Em 2019, vamos assim ter mais um grande evento internacional em Portugal ligado à tecnologia, contando a APDC com dois parceiros-chave, a Nova SBE e a câmara de Cascais", diz o presidente da Associação, Rogério Carapuça.

Será então aqui que serão escolhidos os oito campeões mundiais para cada uma das categorias do WSA -- Government & Open Data; Health & Environment; Learning & Science; Entertainment & Lifestyle; Culture & Tourism; Media & News; Business & Commerce; e Inclusion & Empowerment. Em Cascais -- de entre os 40 projetos finalistas (WSA Winners), que ganham acesso automático às principais redes internacionais de inovação, multiplicando as possibilidades de financiamento e de concretização dos seus projetos.

Na edição anterior, o município de Cascais foi um dos oito vencedores finais, com a app CityPoints Cascais. Foi a primeira autarquia a ser considerada um Global Champion desde o lançamento dos WSA, em 2003. Trata-se de uma aplicação que promove as boas práticas de cidadania e os cidadãos que contribuem ativamente para a sustentabilidade local. O utilizador acumula pontos ao realizar ações predefinidas, podendo trocar estes pontos por vales de produtos ou serviços oferecidos pela autarquia ou por parceiros locais. Também a app portuguesa SnapCity ficou entre os 40 melhores projetos. Desde 2011 que Portugal tem visto vários projetos serem reconhecidos no WSA.

O WSA é dirigido a todos os inovadores com projetos digitais locais com elevado impacto social mundial. O concurso tem quatro fases distintas: seleção ao nível nacional, em cada um dos 178 países, de oito projetos para as categorias a concurso; shortlist com os 15 a 18 melhores projetos em cada uma das categorias; seleção dos 40 projetos finalistas; e realização do WSA Global Congress onde são eleitos os oito Global Champions, um por categoria. Na edição já em curso, que culminará com o evento em Portugal, já foram selecionados os candidatos de cada um dos países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG