Novo ministro da Cultura já perdeu o sono

O poeta Luís Filipe Castro Mendes deveria regressar a Portugal em fevereiro de 2017, mas o convite de António Costa já o fez perder o sono

Apanhado de surpresa com o convite para substituir o ministro João Soares, o novo titular da pasta da Cultura revela ao DN o sentimento que a sua nova situação lhe provoca: "Não tenho pensado noutra coisa nas últimas horas." Luís Filipe Castro Mendes, embaixador no Conselho da Europa, em Estrasburgo, confirma também que dormiu um pouco menos em paz do que lhe é habitual: "É um desafio muito grande, ao qual procurarei responder à altura e corresponder à confiança que o primeiro-ministro colocou em mim."

Para Luís Filipe Castro Mendes "ainda é muito cedo para transmitir qualquer ideia para o cargo de ministro, daí que nada tenha ainda para comunicar." O novo governante adianta que não estava à espera, mas considera-se "honrado com o convite do primeiro-ministro. Em termos de vida pessoal e de trabalho é evidentemente uma coisa completamente diferente do que agora faço".

O novo ministro, um dos consagrados poetas portugueses da atualidade, estava para se reformar em fevereiro de 2017, momento em que passaria à disponibilidade e regressaria a Lisboa: "Realmente, todos os meus planos de vida foram totalmente mudados. Passava à disponibilidade em fevereiro e teria que regressar nessa altura. Agora, em vez de regressar mais tarde volto imediatamente."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG