As atividades que celebram o Dia Mundial da Poesia

Conheça algumas das iniciativas que decorrem durante este sábado

- As comemorações do dia no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, contam com uma Feira do Livro de Poesia no Centro de Reuniões, a iniciativa Diga Lá Um Poema, onde o público é convidado a intervir, De Viva Voz, onde poetas e outras personalidades dizem poemas da sua autoria. Aldina Duarte, Gonçalo M. Tavares, Fernando Pinto do Amaral e Tiago Rodrigues serão algumas das figuras presentes.

- Sophia de Mello Breyner marca as comemorações do dia nos Jardins do Palácio de Cristal, no Porto, de onde a poetisa é natural e onde será homenageada. Teatro, música, artes plásticas e contos infantis com inspiração em Sophia farão parte do programa. O ator António Capelo lerá Manifesto pela Poesia, texto original de Maria Andresen, filha da homenageada e, às 17.00, no Auditório da Biblioteca Ameida Garrett algumas figuras da cidade prestarão a sua homenagem. Entre eles, Rui Moreira, presidente da Câmara ou a estilista Katty Xiomara. Pedro Eiras, Professor da Universidade de Letras, fará ainda uma apresentação da obra poética da autora e a sua neta, Rita Sousa Tavares, dará o seu testemunho.

- Numa homenagem ao poeta Vasco Graça Moura e ao músico Carlos Paredes, Maria Cavaco Silva declama poesia num serão que terá lugar às 21.30 no Palácio de Belém. Nele estarão ainda os fadistas Duarte e Kátia Guerreiro, o guitarrista Pedro Dias (que tocará composições de Paredes), o cantautor Janeiro e a cantora Teresa Lopes Alves com Ruben Alves no piano.

- O Teatro Nacional D. Maria II comemora o Dia Mundial da Poesia com a leitura de textos de Almada Negreiros, Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro, atividade que integra o projeto Orpheu 100, por ocasião do centenário da revista Orpheu, que se celebra a 25 de março deste ano. A partir das 16.30, Paula Mora, por exemplo, interpretará Manifesto Anti-Dantas, de Almada Negreiros.

- No Jardim da Parada e na Casa Fernando Pessoa, ambos em Campo de Ourique, Lisboa, decorre até domingo, 22 de março, a Feira do Livro de Poesia. Haverá encontros com escritores e editores, oficinas de serviço educativo. Estarão presentes 25 editoras.

- O projeto A Poesia não tem grades apresenta o livro O lado de dentro do lado de dentro que reúne textos inéditos com o intuito de angariar fundos para o projeto desenvolvido nas prisões portuguesas, onde os seus voluntários procura incutir a leitura. Entre os autores da coletânea contam-se Afonso Cruz, Alice Vieira, André Gago, José Mário Silva ou Richard Zimler. Em Lisboa, na Estufa Fria às 15.30 e, em Cascais, na Biblioteca Municipal Casa da Horta às 21.30.

- Os atores Custódia Gallego e Carlos M. Cunha dizem poemas num da Chiado Editora para em que será apresentada a antologia de poesia Entre o Sono e o Sonho Vol. VI, às 16h00, no Auditório dos Oceanos do Casino de Lisboa. Na antologia - de onde os próprios atores selecionaram os poemas - estão presentes 1500 autores. Cerca de 700 deles estarão presentes no evento.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.