João Soares tem substituto para o presidente do CCB

Ministro da Cultura considera "um disparate total" o Eixo Belém/Ajuda que era liderado por António Lamas até à sua extinção no último Conselho de Ministros

O ministro da Cultura, João Soares, já tem em carteira substitutos para o cargo de presidente do Centro Cultural de Belém (CCB) e a decisão sobre a eventual saída de António Lamas não deverá tardar muito. No último Conselho de Ministros, o Governo decidiu extinguir a Estrutura de Missão - apelidada de Eixo Belém/Ajuda - criada em junho do ano passado e encarregada da elaboração do Plano Estratégico Cultural da Área de Belém.

"Se me perguntar se tenho pessoas capazes para substituir o presidente do CCB, tenho", disse João Soares ao Expresso, que escreve ainda que o ministro da Cultura considera o plano estratégico "um disparate total". Fonte do Ministério da Cultura disse ao semanário que Lamas "não tomou qualquer medida. Não colocou o cargo à disposição. Nada", acrescentando que João Soares "tomará a sua decisão depois de formar o seu juízo".

Contactado pelo DN o atual presidente do CCB não comenta a notícia.

A criação da Estrutura de Missão, liderada por António Lamas, tinha sido criada pelo Governo de Pedro Passos Coelho para criar um plano estratégico naquela zona de Lisboa. No entanto, o executivo de António Costa justificou a extinção "pelo não envolvimento no projeto da Câmara Municipal de Lisboa, que deve ser um parceiro privilegiado em qualquer modelo de gestão de uma parte importante da cidade de Lisboa".

O Eixo Belém/Ajuda integrava o Museu dos Coches, a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos e o Palácio da Ajuda, e inclui ainda o Museu Nacional de Arqueologia, o Museu de Marinha, o Museu da Presidência da República, a Capela de São Jerónimo, o Museu de Arte Popular e o Museu Nacional de Etnologia.

Com Lusa

Exclusivos